Produtividade no trabalho

Ao longo dos meus 25 anos de carreira como executiva de grandes e médias corporações em São Paulo e em outras cidades e Estados, senti a necessidade de reavaliar meus conceitos.

Refleti muito pautada no conhecimento que tive através de cursos, técnicas de gestão, administração e principalmente pelo conhecimento revertido em sabedoria pelas experiências que trago dos árduos desafios que tive e tenho, sendo liderada e liderando pessoas nas grandes e pequenas empresas. Lidando com pessoas que cultuam maneiras diferentes de trabalhar, pois são de outros países e mesmo dentro de nosso lindo país também temos o prazer de conhecer e lidar com as diferenças.

Diferenças estas que encaradas com carinho, dedicação, amor ao trabalho e ao ser humano, não passam de uma grande bagagem de sabedoria a ser aplicada na vida e no trabalho em muitas situações que demandam árdua avaliação e mudanças de paradigmas, porque embora pessoas trabalhem no mesmo ambiente e tenham nascido na mesma cidade, vivemos em um país com uma miscigenação muito grande de raças e culturas .

Sabe quando você começa a reavaliar suas habilidades tanto como subordinado e como líder?

Pois bem! Esse momento é crucial onde em todos os âmbitos da vida temos que perguntar “O QUE NOS MOTIVA?” para realmente nos situarmos e verificar com clareza se o melhor caminho é realmente esse que estamos seguindo ou devemos nos impulsionar a traçar novos caminhos como combustível as nossas motivações e a todos que nos circundam na nossa jornada profissional.

E depois de encontrar essas respostas, buscar o “O QUE TE MOTIVA” no intuito de compreender e aplicar as ferramentas materiais e psicológicas que temos no ambiente de trabalho para que a equipe fique motivada e essa “inspiração” contagie até os líderes e subordinados de outras áreas e equipes que trabalham juntas em uma empresa. Afinal, em uma empresa, todas as áreas são interligadas e temos diversas possibilidades de contato.

Lembro-me que no início de minha carreira, trabalhando em uma multinacional da área de tecnologia, sentia um ambiente hostil entre os colaboradores do escritório da planta (indústria) que estava situada no interior do estado de São Paulo e o escritório que estava na Capital. Não nos faltava ferramenta de trabalho, mas faltava a sinergia que nos tirava a motivação.

Na primeira oportunidade de criar Políticas Internas (Procedimentos), me vi com e como uma ferramenta física e psicológica adequadíssima ao momento de insatisfação entre as áreas!!! Corri para a sala de meu superior, pedi licença e pedi permissão liderar a melhoria nos Procedimentos Internos  que já tínhamos a fim de mostrar como era nosso trabalho e o quanto as outras áreas da empresa eram importantes e valorosas para nosso exímio cumprimento do exercício de cada tarefa no alcance das metas da Corporação e, assim poder trabalhar o bem estar dos  profissionais de todas as áreas envolvidas no processo da empresa.

Foi sensacional e gratificante!!

Foi solicitado a todos da empresa para fazer seu Procedimento Interno pra ser apresentado via um ferramenta de e-mail (mail – interno) onde todas os colaboradores iniciavam o Procedimento de sua área de atuação apresentando um fluxograma com as pessoas, documentos e prazos minuciosamente envolvidos em suas atividades, os Diretores de todas as áreas da empresa direcionaram aos seus colaboradores que teriam um tempo para ler cada procedimento das áreas que os envolviam e pelo fato de lerem já era como se tivessem assinado a leitura.

Obvio que, como eu trabalhava um dia por semana na Fábrica, no interior de SP como dito, eu aproveitei as viagens para solicitar apresentações desses Procedimentos Internos de cada área do Financeiro (minha área de atuação) aos  gestores da fábrica! Aprovaram e, a cada apresentação eu me sentia presenteada com a apresentação das áreas deles também.

Resultado! Esse tipo de contato, onde cada área e cada colaborador teve a oportunidade de conhecer e fazer conhecer COMO suas atividades dependem da atividade uns dos outros gerou uma sinergia onde a produtividade com qualidade aumentou significativamente, trazendo a todos a sinergia e ajuda mútua entre as áreas e motivação para fazer melhor com toda as ferramentas que a corporação oferecia.

A conclusão dessa situação e reflexão é que a produtividade tem muito mais a ver com o planejamento do que com a própria execução de atividades.

Motivação está longe de ser sinônimo de alta hierarquia de cargo, excelentes salários ou até excelentes currículos.

Atualmente o tempo parece estar escasso demais para as tarefas  a executar dentro ou fora (home office) de uma empresa gerando uma ansiedade e um sentimento de culpa (ressaca moral) terrível. Nesse contexto temos que reavaliar e buscar melhores resultados analisando as prioridades e executando-as com agilidade e qualidade e, se tivermos alguma dificuldade, analisar a dificuldade e sinalizar imediatamente ao gestor antes da procrastinação acontecer. Afinal, podemos estar sobrecarregados de tarefas, problemas pessoais, falta de energia física e mental ou até doentes sem notar.

Temos pessoas nos cobrando porque não respondemos ao WhatsApp, Messenger, Skype ou outras ferramentas de conversa online e, muitas vezes até as empresas utilizam essas mesmas ferramentas para trabalhar. OK! mas que seja uma ferramenta e conta separada daquelas de uso pessoal.

Enfim, temos que dar um passo de cada vez para aumentarmos nossa produtividade no trabalho e até ter clareza de raciocínio para “agarrar” oportunidades de melhorias na produtividade.

Manter o corpo em movimento fazendo exercícios diários, alimentar-nos de forma saudável, fazer check-up de saúde anuais.  Afinal, “corpo são mente sã” e vice-versa.

Fazer pequenas pausas ao longo do dia, a cada 120 minutos pare uns 15 minutos para alongar, sair da cadeira e andar um pouco, conversar com os colegas de trabalho na copa do escritório ou se comunicar com pessoas de seu convívio pessoal.

Evite o perfeccionismo, você tem uma equipe de trabalho ou faz parte de uma na qual conhece ou está conhecendo a maneira de trabalhar de cada um, delegue ou solicite ao seu superior para delegar tarefas sem receio de perder o controle da situação, além disso, se você “segurar e engessar” seus colaboradores ou colegas de trabalho, isso fará um mal sem fim para você e eles, prejudicando muito mais seus resultados e dos que trabalham junto de ti.

“Evite agendar reuniões para agendamento de reuniões”, isto é, que as reuniões sejam produtivas, pois acontece de passarmos horas em reuniões debatendo assuntos que não tem fim, concluindo isso, parta para a ação e informe ao seu superior quando está deixando de cumprir com prioridades para participar de reuniões. Reuniões inteligentes solucionam problemas, nos deixam mais motivados e não geram climas ruins entre colaboradores. Nunca pense em seu colega de trabalho como um potencial concorrente, isso acabará com sua produtividade, motivação e sua carreira como um todo. Como dito, temos muitas culturas em nossa volta, mas antes de tudo podemos e temos que alimentar pensamentos alinhados à cultura da empresa (missão), com ética, boa vontade, dedicação e até apresentá-la como motivação aos líderes e subordinados como rotina de trabalho a ser cumprida. Se na sua empresa ainda não há um “quadro de missões”, vá a seu superior e pergunte, peça, ajude a criar a missão da empresa onde trabalhe e permeie suas ações paralelamente a essas missões da melhor maneira possível.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.