O empreendedorismo te chama

Saiba quanto você precisa investir para abrir seu próprio negócio

Sabemos que o mercado de empreendedores tem estado em ascensão nos últimos anos. O sonho de ser seu próprio chefe, assim como a ambição de ganhar dinheiro tem cativado milhares de pessoas ao redor do mundo, que com uma pequena visão de mercado e quem sabe a ajuda de uma grande paixão resolvem abrir seu próprio negócio. 

Apesar de promissor é um território de muito trabalho, dedicação, investimento, estudo e persistência, afinal para ter seu próprio negócio é preciso saber de tudo um pouco, colocar muita mão na massa até ter um retorno e saber que as coisas levam tempo e precisam ser planejadas.

Se você é mais um desses sonhadores, com certeza está cheio de perguntas e dúvidas, sobre o que fazer e não fazer, quanto investir, onde vender, e nesse momento as perguntas são tantas que a única certeza é que você quer ser empreendedor. 

O primeiro grande ponto de atenção é percebermos que abrir uma loja pode ter diferentes valores de investimento, a pergunta: quero abrir uma loja de roupas, quanto vou gastar? Não é a mesma de querer abrir um e-commerce de acessórios, por exemplo, e são pequenos detalhes como esses que fazem a diferença e inúmeras vezes definem o sucesso ou fracasso de uma marca.

Abaixo você confere algumas dicas sobre com o que se preocupar, quais decisões tomar e como o que é necessário gastar dinheiro nesse momento.

Qual é o seu negócio?

O primeiro passo para abrir um negócio é de fato escolher qual vai ser ele, se você quer ser dono de uma marca, precisa tomar decisões do tipo: quero ter uma fabricação própria ou vou ser um revendedor? E cada uma dessas perguntas direcionam a outras decisões: se for fabricação própria é necessário incluir em custos o valor do estilista (caso você não exerça esse papel), o valor da produção das roupas e com certeza adicionar na planilha algumas semanas a mais de timing para ter os produtos prontos. Caso você escolha ser revendedor, precisa orçar os lugares mais baratos para compras, entender se a compra em atacado faz mais sentido para a sua marca, ou se de início a compra por unidade sai mais em conta, pensando sempre em manter o catálogo com novidades e não perder dinheiro com peças paradas. 

Loja física x e-commerce?

Definindo o seu produto de venda fica mais fácil realizar a segunda decisão. Lembrando que vivemos em um mundo cada vez mais globalizado e que as pessoas cada vez mais consomem pela internet com a mesma facilidade e maior preferência do que presencialmente. Mas fazer esse escolha também significa entender se a sua marca vende um serviço ou produtos, dependendo do tipo de serviço vendido, ele pode ser muito bem contratado de forma online, mas em alguns casos é imprescindível uma loja física, e com ela existem os gastos com aluguel, luz, telefone, água. Optar por um e-commerce também significa entender muito bem o seu público-alvo, não adianta estruturar uma loja online se o seu público é 60+, que já apresenta maior insegurança e resistência com compras pela internet. 

Devo contratar funcionários para me ajudar?

Apesar de tentador e de grande ajuda, o contrato de funcionários logo de início não é recomendado. Mesmo com o volume de trabalho imenso nesse primeiro momento, os lucros do negócio podem ainda demorar a vir, e contratar alguém nesse momento significa se comprometer a pagar mais uma “dívida” mensalmente, ou usar parte de um investimento inicial que poderia ser dedicado a outra finalidade mais urgente a uma mão de obra. Além disso, um bom empresário sabe executar e conhece cada parte que envolve o processo de sua empresa, só assim ele poderá julgar como bom o ruim o que está sendo feito, e não existe forma melhor de conhecer todo o processo se não for na prática.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.