Título: Microempreendedor individual cadastro: veja como fazer

Um microempreendedor individual ou, como é chamado popularmente, MEI, são empreendedores de empresas próprias com faturamento anual de no máximo R$ 130 mil. Então, se você se encaixa neste setor, você sabe como fazer microempreendedor individual cadastro?

Os microempreendedores, além disso, também não podem ter sócios e nem mais do que um funcionário com registro no regime da CLT.

Esta modalidade foi criada no ano de 2009 a fim de facilitar com que as pessoas deixassem de ter trabalhadores informais e pudesse ter os mesmos direitos que alguém registrado no regime da CLP pagando apenas uma taxa mensal de contribuição.

Então, se você quer conhecer mais sobre como fazer microempreendedor individual cadastrado, continue aqui com a gente e veja essa e outras informações sobre este assunto. Confira a seguir!

Quem pode se tornar um microempreendedor individual?

Para poder se tornar um microempreendedor individual é preciso ter um negócio que tenha um faturamento anual de no máximo R$ 130 mil. Além disso, não pode haver sócios e o limite de funcionários registrados na CLT é de um único colaborador.

Até o presente momento, já são mais de 470 tipos de ocupações diferentes para que você possa se cadastrar dentro do Simples Nacional quando realizar o seu microempreendedor individual cadastro.

Dessa forma, você pode encontrar nesta lista atividades de trabalho como:

  • cabeleireiros;
  • artesãos;
  • professores particulares;
  • eletricistas;
  • manutenção de eletrônicos;
  • personal trainers;
  • mecânicos;
  • borracheiros;
  • e muitas outras atividades que são consideradas atividades moderadas e aceitas pelo simples.

Microempreendedor individual cadastro: como fazer?

Agora que você já sabe o que é ser um microempreendedor individual, que tal fazer o seu cadastro nesta modalidade e se tornar um trabalhador formal e, ainda, dono do seu próprio negócio?

Portanto, para que você possa realizar o seu microempreendedor individual cadastro, basta acessar o Portal do Empreendedor, um site do governo federal através do endereço eletrônico a seguir: www.portaldoempreendedor.gov.br.

Depois de acessar este site, basta realizar o preenchimento do formulário com suas informações pessoais e também sobre o seu negócio. O número do CNPJ e geração do seu cartão é feito no mesmo momento em que você finaliza todo o processo.

Viu só como se tornar um trabalhador formal é simples e rápido?

Contudo, lembre-se que mensalmente, todo dia 20 você terá que realizar o pagamento do Documento de Arrecadação Simplificada (DAS). Veja seu valor a seguir.

Valores a serem pagos no boleto da DAS

Como já mencionado, assim que você realiza o seu microempreendedor individual cadastrado, você passa a realizar um pagamento mensal referente a uma taxa de contribuição.

O valor desta taxa varia de acordo com a modalidade do seu cadastro na plataforma para prestação do seu negócio.

POrtanto, se você realizou o cadastro sendo optando do item de prestação de serviço apenas, o valor a ser pago será de:

  • 5% do valor do salário mínimo anual de tributo ao INSS; mais
  • taxa de R$ 5,00 de tributos ao ISS.

No caso de quem optou por ser da área de indústria e comércio, o valor é de:

  • 5% do valor do salário mínimo anual de tributo ao INSS; mais
  • taxa de R$ 1,00 de tributos ao ICMS.

Mas, para aqueles que optaram pelas duas modalidades, o valor será baseado em:ar em:

  • 5% do valor do salário mínimo anual de tributo ao INSS; mais
  • taxa de R$ 5,00 de tributos ao ISS; mais
  • taxa de R$ 1,00 de tributos ao ICMS.

Portanto, lembre-se que a cada mudança no valor do salário mínimo, também haverá alterações sobre as taxas mensais a serem pagas, já que o valor ao INSS que se baseia em 5% do salário mínimo é mutável, enquanto que o de ISS e do ICMS são fixos.

Então, se você se enquadra para se tornar um MEI, faça já o seu cadastro.

Entenda sobre a diferença entre certificado do microempreendedor e o cartão CNPJ

Estes termos são questões que geram bastante dúvidas nos microempreendedores individuais. Muitos pensam que o certificado do microempreendedor e o cartão CNPJ são a mesma coisa, mas não são.

Na verdade, cada um deles possui um nível de informação sobre a empresa, contudo, ambos são utilizados para a solicitação de novos recursos para a empresa, principalmente os financeiros. Além disso, o cartão do CNPJ não substitui o certificado do microempreendedor individual em nenhuma hipótese. Da mesma forma que o certificado também não substitui o cartão do CNPJ.

Então, podemos dizer que o certificado do microempreendedor individual é muito mais rico em detalhes e informações sobre a empresa do que o cartão do CNPJ.

Então, em suma, dizemos que um documento complementa o outro.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.