Salários na carreira militar: entenda como funcionam

Os salários na carreira militar são tradicionalmente mais interessantes do que em profissões semelhantes no mercado privado. Há uma razão lógica para isso: o bom pagamento aos oficiais das Forças Armadas compensam as exigências maiores que eles precisam cumprir, além das funções de defender o país em determinadas situações. No entanto, você sabe como esses salários são calculados?

Atualmente, a lei que determina o soldo e o escalonamento vertical dos militares é a Lei nº 13.321. Ela estabelece quanto é o soldo para os oficiais das Forças Armadas, bem como o método de cálculo para o pagamento de cada um de acordo com sua patente e/ou cargo, além de horas trabalhadas. Isso inclui também potenciais adicionais que possam vir a ser contabilizados.

Quer aprender como funcionam os salários na carreira militar? Então siga a leitura do artigo abaixo com atenção!

Quais são e como funcionam os salários na carreira militar?

Os soldos dos oficiais do exército dependem de dois fatores básicos: o soldo principal por causa da parente e o acréscimo de gratificações ou adicionais específicos para cada caso.

O valor do soldo começa com a colocação mais baixa dentro das Forças Armadas, que são dos alunos de institutos ou escolas especializados. Veja, a seguir, o valor recebido por esses alunos:

  • EEAr Salário: R$ 1.066,00;
  • IME salário: de R$ 1.334,00 a R$ 1.630,00;
  • EsPCEx salário: de R$ 1.185,00 a R$ 1.199,00;
  • ITA salário: de R$ 1.334,00 a R$ 1.630,00.

Fora dos alunos, os salários começam com aqueles participantes das Forças Armadas que estão na classe de Praças Especiais, incluindo Aspirantes e Cadetes, alugns alunos d Centro de Formação de Oficiais da Aeronáutica e mais. Eles ganham salário de R$ 1.334,00. Já os Aspirantes e Cadetes de último ano recebem remuneração de R$ 1630,00. Por sua vez, Guara-Marinha e Aspirante a Oficial recebem vencimentos de R$ 7.315,00.

Nas próximas patentes, entre Sargentos e Cabos, os proventos chegam ao valor de R$ 3.825,00 no grau de 3º Sargento, indo para R$ 4.770,00 no 2º Sargento e até R$ 5.483,00 no 1º Sargento. O Cabo não engajado recebe R$ 1.078,00, enquanto o Cabo engajado e o Taifeiro Mor recebem R$ 2.627,00.

Na classe dos Oficiais Subalternos, os valores começam em R$ 7.490,00 para os Segundo-Tenentes e R$ 8.245,00 para os Primeiros-Tenentes. Os Oficiais Intermediários, Capitão-Tenente e Capitão, recebem R$ 9.135,00. Já os Oficiais Superiores têm salários que vão de R$ 11.088,00, para os Capitão de Corveta e Major, passando por R$ 11.250,00 para aqueles que têm a patente de Capitão de Fragata e Tenente-Coronel, até chegar ao valor de R$ 11.451,00 para quem é Capitão de Mar e Guerra e Coronel.

Por fim, as patentes mais altas e com maior salário são as dos Oficiais Generais. O soldo deles começa em R$ 12.490,00 e vai até R$ 14.031,00 dependendo da posição. Veja quais são a seguir:

  • Faixa dos R$ 12.490,00: Contra-Almirante, General Brigadeiro e de Brigada;
  • Salário de R$ 12.912,00: General de Divisão, Major-Brigadeiro e Vice-Almirante;
  • Faixa dos R$ 13.471,00: Almirante de Esquadra, Tenente-Brigadeiro e General de Exército;
  • Soldo de R$ 14.031,00: Almirante, Marechal do Ar e Marechal.

E as bonificações?

Além do valor dos salários, todos os membros das Forças Armadas podem acumular adicionais e bonificações específicas dependendo de certos contextos. Por exemplo, todos aqueles que permanecem no círculo hierárquico da carreira militar recebem o adicional militar, que é uma parcela mensal para a eles. Quanto maior a patente, maior o adicional.

Ainda existem outros bônus e adicionais, como:

  • gratificação de representação: paga a Oficiais Generais e outros oficiais em cargo de comando durante viagem de representação ou instrução, emprego operacional ou em situações em que o oficial está sob ordens de autoridade estrangeira no Brasil;
  • adicional de compensação orgânica: pagamento mensal para compensação de desgaste orgânico por causa de atividades especiais, que colocam o militar sob extremo perigo ou esforço físico intenso;
  • adicional de habilitação: pagamento mensal feito com base em cursos realizados pelos militares;
  • gratificação de localidade especial: pagamento mensal feito ao militar que serve em regiões inóspitas (com privações básicas ou infraestrutura precária).

Agora que você já entendeu como funcionam os salários na carreira militar, é hora de aplicar esse conhecimento para seu benefício. Como deu para ver, é fato que os salários dos militares estão acima da média (especialmente se considerarmos o valor pago de salário-mínimo na iniciativa privada). Por isso, essa pode ser uma boa área para quem atuar nela.

Gostou do conteúdo? O que acha de seguir a carreira militar? Comente abaixo!

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.