Valores a receber: saiba como consultar se possui dinheiro esquecido em bancos

Diante da concentração que as pessoas precisam dar a uma série de atividades, dentro do seu trabalho ou até mesmo vida pessoal, é comum que a gente fique ocupada e esqueça de algumas coisas. O que nos leva a achar objetos perdidos e valores esquecidos no bolso.

Algo que pode até ser positivo futuramente, caso se trate de algo que não tenha tanta importância para o indivíduo naquele momento. Levando aquela sensação positiva de achar uma nota de R$ 50 reais esquecida dentro de um armário.

Principalmente se for no final do mês ou em um momento de necessidade, no qual você se encontra longe de receber o seu previsto pagamento mensal. O mesmo para outras situações, como achar uma bala esquecida no bolso, ótima para tirar o gosto de algo ruim.

Sendo exemplos diferentes do que em relação a objetos que sejam essenciais para que você consiga exercer alguma atividade dentro de um momento específico. Como o uso de um cartão digital para entrar no seu  trabalho, por meio de um controlador de acesso.

Com o fato de esquecer do mesmo em cima da cama, enquanto se arrumava para sair, poderia ser um motivo para uma grande situação de estresse, já que esse indivíduo provavelmente terá que se atrasar, tendo que retornar até sua residência.

Logo, essa brincadeira de perdas e ganhos futuros que a nossa memória pode fazer conosco pode chegar a diferentes resultados, a depender da necessidade atual do usuário sobre um objetivo específico ou de algum valor necessário em particular.

Ao falar em dinheiro, a falta de um montante específico pode resultar em situações preocupantes para uma pessoa, principalmente se ela estiver na posição de gerenciar um negócio, sendo preciso recorrer a um serviço de contabilidade para auxiliá-la nesse ponto.

Nesse sistema financeiro de valores que somem do reconhecimento do seu proprietário, essa situação é muito mais comum do que se pensa, levando a um número crescente de valor monetário a ser resgatado junto a bancos e outras instituições financeiras.

Um contexto tão grande que o próprio governo federal desenvolveu um programa com o objetivo de oferecer uma ponte de contato entre essas entidades bancárias e os seus atuais e antigos clientes que podem ter algum tipo de valor a ser recebido nesses locais.

O sistema de valores a receber

Por se tratar de um exemplo cada vez mais comum na sociedade, que é o fato de alguém ter um dinheiro a receber e nunca ter ido retirar o mesmo, o governo federal desenvolveu o SVR, Sistema Valores a Receber, uma plataforma de fácil acessibilidade.

Dentro desse programa é possível para qualquer cidadão brasileiro que tenha algum tipo de valor a receber verificar a disponibilidade desse valor, além de trazer uma forma facilitada de se receber tais quantias, com a retirada da burocracia de se lidar com os bancos.

Sem a necessidade de recorrer a um advogado direito do consumidor, para se certificar de que tais valores possam de fato ser recebidos por parte desse indivíduo que possui algum tipo de direito em relação ao mesmo. Facilitando a situação para ambos os lados.

E o mesmo vale para quem sequer se lembra de possuir um valor específico a ser resgatado, já que o primeiro passo nessa plataforma é justamente verificar se você possui algum tipo de valor a ser recebido, com base nos seus dados informados.

Isso dentro de um sistema que foi desenvolvido exatamente com esse propósito de alertar aos clientes de alguma entidade bancária sobre os valores que a mesma se encontra devendo, não conseguindo entrar em contato com esse antigo cliente.

Por qualquer que seja o motivo dessa falta de contato, como a troca dos dados de comunicação desses usuários, que no cenário dinâmico das tecnologias atuais podem levar a uma pessoa a trocar de endereços de e-mail ou número de telefone com certa frequência.

Com o propósito do SVR sendo precisamente o de auxiliar os dois lados dessa transação a se beneficiarem diante da quitação de possíveis débitos por parte dessas companhias. Isso em um serviço que serve tanto a empresas de sistemas como a uma pessoa física.

Desde quando o SVR está disponível ao público?

Para quem ainda não tinha ouvido falar desse sistema, a resposta para isso está no pouco tempo de lançamento desse programa, que só chegou ao contato do público a partir de janeiro de 2022, estando diretamente ligado ao sistema digital do governo.

Contudo, não demorou para que esse sistema ficasse sobrecarregado, diante da alta procura do público em verificar se existe algum valor esquecido por parte desse usuário. Um dinheiro que esteja apto a ser recebido e que pode facilitar sua vida no momento.

Isso principalmente dentro de um período de instabilidade econômica, ao qual se encontra o Brasil, com o mercado econômico ainda se recuperando de uma crise política e dos efeitos globais da pandemia de covid-19, o que acaba por afetar o bolso dos brasileiros.

Diante desse alto número de acessos, foi necessário recorrer aos serviços de informatica para o desenvolvimento de um sistema próprio. Resultando em uma plataforma que foi disponibilizada ao público em uma segunda-feira, no dia 14 de fevereiro.

Como funciona essa plataforma?

O SVR pode ser acessado através do endereço valoresareceber.bcb.gov.br/, no qual qualquer usuário pode verificar se possui algum tipo de valor a ser recebido junto às instituições bancárias, sendo preciso apenas do CPF e da data de nascimento do usuário.

Lembrando que tal serviço também está disponível para pessoas jurídicas, sendo necessário apenas o número do CNPJ dessa empresa, além da data de registro de abertura da mesma. E dessa forma esclarecer se existe algum crédito a ser recebido pelo usuário.

Caso exista algum tipo de valor para receber, aí sim será necessário contar com um conta específica para acessar esse sistema. Através de uma certificação ser feita junto do perfil criado no Portal Gov.br. 

O mesmo cadastro usada para acessar serviços como:

  • Portal do INSS;
  • Empreendedor MEI;
  • Sistema do SUS;
  • Comprovante de vacinação.

Além de outros serviços digitais que hoje são disponibilizados pelo governo federal. Com a plataforma sendo disponibilizada pelo Banco Central do Brasil, em uma parceria com os serviços do governo, possibilitando o uso desse mesmo cadastro.

Quem está apto para receber tais valores?

De acordo com o Banco Central, atualmente existe uma média de quase 28 milhões de pessoas que possuem algum tipo de valor a ser recebido em relação a uma instituição financeira, chegando ao valor de R$ 8 bilhões a estarem em posse desses bancos.

Uma situação que acontece justamente por causa da falta de conhecimento dessas pessoas com direito a receber tais valores.

Podendo englobar um número amplo de possibilidades, como uma companhia de soluções ambientais que possui algum valor a receber após o pagamento de créditos indevidos, ou um usuário que fechou uma conta tendo saldo positivo na mesma.

Assim como um participante de um consórcio que nunca retirou completamente uma cota total de valores pertencentes ao mesmo.

Em entrevista à rede de notícias CNN, o chefe do Departamento Institucional do Banco Central, Carlos Eduardo Gomes, informou que essa verificação no sistema pode ser feita até mesmo com pessoas que morreram, por meio dos seus dados.

Sendo preciso entrar em contato direto com essas instituições caso haja de fato um valor a ser considerado dentro de uma avaliação patrimonial, a ser feita para o repasse de uma herança aos seus descendentes, por exemplo.

Para outras situações, o recebimento desses valores é bem mais prático.

Como receber esses valores?

Após a verificação de que existe um crédito a se receber, o usuário deve anotar a data de retorno à plataforma informada, para então realizar esse resgate. Acompanhando o calendário informado pelo Banco Central.

Nesse momento, será necessário ter uma conta do governo nível prata ou ouro. Uma certificação que é obtida através do dados de segurança informados na criação de tal conta, como um registro biométrico ou facial.

Após isso, o recebimento desses valores será feito via transferência Pix, por dados informados na própria plataforma. Caso o usuário opte por outro tipo de transação, ele terá de entrar em contato diretamente com a instituição bancária específica.

Esse sistema é seguro?

O SVR possui o mesmo tipo de certificação de segurança de outros serviços do governo. Contudo, podem haver golpes aos quais esse usuário precisa estar atento, já que no próprio site é informado que em nenhum momento será feito contato via meios como:

  • SMS;
  • E-mail;
  • WhatsApp;
  • Telegram;
  • Redes sociais.

Logo, caso haja algum contato do tipo, pode ser que se trate de um golpe. Cabendo ao indivíduo ter cuidados com os seus dados, tanto pessoais como do seu empreendimento, como uma empresa que fornece serviço de calibração para a indústria.

Já que o SVR foi desenvolvido para atender a todo tipo de indivíduo que conste com algum valor a receber, seja ele uma pessoa física ou jurídica.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.




Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.