Perícia do INSS: veja 5 dicas para obter a aprovação

Aprenda neste artigo o que fazer para ser aprovado na perícia do Instituto Nacional da Seguridade Social, o INSS.

Quando se trata desse assunto é muito comum surgirem dúvidas na cabeça de quem precisa da perícia, tais como:

  • Como a perícia funciona?
  • Quando e por que ela é necessária?
  • Quem é o profissional responsável?
  • Como devo proceder à marcação?
  • Como se preparar?
  • O que levar?

Todas estas são questões relevantes que precisam ser entendidas por quem precisará passar por uma perícia, que deve saber o que fazer.

Neste artigo reunimos informações importantes para quem vai passar pela perícia do INSS, com cinco dicas para você obter a aprovação.

O que é a perícia médica do INSS?

A perícia médica do INSS se trata de um procedimento médico realizado por um profissional habilitado da saúde do próprio INSS.

Ela tem um caráter obrigatório e tem como principal objetivo certificar a existência de alguma doeça ou acidente que possa ter incapacitado o trabalhador para exercício da profissão, seja de forma temporária ou definitiva.

Dessa forma, o resultado que é obtido a partir deste procedimento viabiliza a concessão, a prorrogação ou a interrupção dos pagamentos de auxílio-acidente, aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença a partir de uma empresa de segurança do trabalho.

Existem três tipos de perícia, que pode ser hospitalar, domiciliar ou em outra localidade. Entenda melhor cada uma a seguir.

Perícia hospitalar

Para realizar a perícia hospitalar, um responsável pelo interessado deve se dirigir até uma agência do INSS, em um prazo de dois dias antes da perícia marcada, levando alguma documentação que comprove a internação.

Perícia Domiciliar

Para realizar a perícia domiciliar, um responsável pelo interessado deve ir até uma agência do INSS, também dois dias antes da data da perícia marcada, apresentando algum documento médico que comprove a restrição de locomoção do paciente.

Perícia em outra localidade

Para uma perícia em outra localidade para uma empresa de tradução de documentos ou qualquer outro segmento, é preciso ir até uma agência do INSS na localidade em que você se encontra.

Para isso, deve-se levar documentos de identificação, o comprovante de agendamento da perícia em sua cidade natal e os comprovantes do tratamento de saúde.

Existe um prazo de 90 dias para deslocamento que permite que você peça a perícia em outra cidade. Passando esse prazo é necessário pedir a transferência do seu benefício para a nova cidade em que se encontra.

Quando fazer a perícia médica do INSS?

Para garantir os direitos ao benefício previdenciário de um colaborador de uma empresa de elemento filtrante, a perícia médica no INSS é fundamental.

No caso de doença, lesão ou acidente, o colaborador segurado do INSS deve primeiro buscar atendimento médico, que deverá elaborar um atestado que determine o afastamento do paciente de suas atividades de trabalho.

Uma vez informado esse fato, a empresa fará o agendamento da perícia no INSS para poder comprovar a incapacidade de seu empregado, que deve ocorrer em um prazo de 15 dias de afastamento.

Esse prazo pode ser contínuo ou intercalado num período de 60 dias, sendo a partir desse procedimento que o beneficiário passa a receber o Auxílio-Doença ou o Auxílio-Acidente.

Conforme a incapacidade do paciente, o INSS vai determinar o prazo de duração do pagamento do benefício. Após esse prazo deve ser feito novamente o agendamento de uma nova perícia em até seis meses.

Para uma empresa de consultoria de exportação, é o resultado dessa nova perícia que vai definir se a incapacidade permanece ou não.

O médico responsável vai determinar se o trabalhador deve voltar às suas atividades laborais ou se deve continuar afastado recebendo o benefício.

Para o caso de buscar uma aposentadoria por invalidez, o primeiro passo é o trabalhador fazer o requerimento do auxílio-doença, seguindo o mesmo procedimento com a perícia.

Quando for certificada a incapacidade, assim como a impossibilidade de reabilitação, é devido o pagamento do benefício.

Fique atento, pois o INSS costuma fazer uma operação pente-fino, convocando os beneficiários para atestar a permanência da incapacidade a cada dois anos.

Caso seja constatado que o trabalhador não restabeleceu a capacidade de trabalhar, o benefício é prorrogado, em caso contrário, o benefício é cancelado.

Quem realiza a perícia médica do INSS?

Quando se trata da saúde do trabalho, para atender casos de advogado direito do consumidor existem três tipos de médicos que podem atender o paciente: o médico perito, o médico do trabalhador e o médico assistente.

O médico assistente está disponível para todos aqueles que necessitarem de tratamento e atendimento de saúde.

O procedimento consiste em atender o trabalhador, fazer seu diagnóstico, definir quais as intervenções necessárias e a posterior concessão do atestado de afastamento, se for necessário.

O médico do trabalho é aquele profissional constituído pela própria empresa empregadora, como um local para abertura de empresa MEI. Esse médico elabora o ASO, o Atestado de Saúde Ocupacional, que deve ser encaminhado para o INSS.

Por fim, o médico perito trabalha para o instituto, analisando a concessão do afastamento e emitindo o parecer final sobre a existência da incapacidade para o serviço laboral, bem como a necessidade de afastamento do trabalhador.

Neste ponto, pode ocorrer uma discordância das conclusões dos demais médicos, de forma que o benefício pode ser cancelado a partir do parecer nesta última perícia.

Como devo me preparar para a perícia médica no INSS?

O agendamento da perícia médica pode ser feito presencialmente, por telefone pelo número 135 ou mesmo pela internet por meio do site do Meu INSS.

A melhor forma é o agendamento pela internet, que se trata de um procedimento mais cômodo em que se tem a emissão de um comprovante com data e horário que foram agendados.

Esse é um documento importante para casos como ausência do médico perito, caso eventual de desmarcação ou mesmo por erros no sistema.

Como proceder durante a perícia médica?

Durante o atendimento para sua avaliação de uma empresa de laudo ambiental, é importante que você seja natural e objetivo. Então limite-se a responder o que for perguntado, apresentando os documentos que forem solicitados pelo profissional.

Durante a consulta, o médico do INSS fará perguntas que servem para analisar suas condições físicas, a fim de comprovar a incapacidade laboral.

Seja educado, gentil e cortês com o responsável pelo atendimento, pois agressões verbais podem configurar desacato ao funcionário público, causando problemas com a Justiça.

Quando terminar a perícia, peça um comprovante de comparecimento, que poderá ser útil futuramente para comprovar a presença na perícia.

Dicas para sua perícia do INSS

Como o INSS nega quase a metade dos pedidos de auxílio-doença, é comum que os trabalhadores fiquem nervosos na hora de agendar sua perícia.

Para ter seu pedido atendido é importante marcar a perícia e aguardar o atendimento, sabendo se comportar e se preparar para a consulta. Para essa finalidade, separamos 5 dicas.

  1. Leve sua carteira de trabalho e o comprovante de agendamento

Para o dia da perícia, é importante estar com o comprovante de agendamento, constando o número do protocolo de atendimento. Caso tenha marcado sua perícia por meio do telefone, entre em contato com a central 135 para obter essa informação.

A carteira de trabalho é outro documento muito importante que precisa estar em mãos para a conferência pelo médico do INSS.

  1. Apresente provas

Na hora da consulta, não basta chegar e alegar um problema de saúde, sendo importante levar laudos, exames médicos e atestados.

Deixe todas as provas organizadas por ordem cronológica para agilizar os procedimentos de atendimento. Se tiver alguma internação recente, aproveite para entregar uma cópia do prontuário para o médico do INSS.

Esteja com seu comprovante de endereço e leve todos os documentos importantes da perícia, tais como:

  • ASO (Atestado de Saúde Ocupacional);
  • Uma carta da empresa declarando o último dia de trabalho;
  • Um atestado médico com todas as informações;
  • Exames de sangue ou imagem para comprovação;
  • Todas as receitas que indiquem medicações utilizadas.

É muito importante que todos esses documentos sejam atualizados, significando que sua emissão não pode datar de um período maior que três meses.

  1. Entregue um relatório médico

Para conseguir um laudo positivo para quem trabalha em uma empresa de avaliação patrimonial, é preciso estar com um relatório médico que condiga com sua situação incapacitante.

Geralmente quem consta com esse tipo de doença faz acompanhamento com um especialista. Peça um relatório médico que conste os CID’s correspondentes, bem como os tratamentos já realizados e os remédios que já foram receitados.

  1. Foque em apenas um problema de saúde

Um trabalhador que conte com vários casos clínicos, como esclerose múltipla, depressão e dores nas costas, precisa focar no mais incapacitante para seguir com seu processo.

Todos os exames, laudos e relatórios médicos precisam tratar do mesmo problema, no caso seria a esclerose múltipla.

  1. Os documentos devem ser atuais

Devido à importância dessa informação, vamos ressaltá-la aqui: os documentos comprobatórios precisam ter sido emitidos em no máximo três meses antes da perícia médica no INSS.

Considerações Finais

Na hora de responder às perguntas do perito evite conversas desnecessárias, limitando-se a responder às perguntas de forma objetiva, clara e diretamente.

Neste artigo, você conferiu todo o processo para fazer sua perícia do INSS, bem como 5 dicas para obter sua aprovação.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.




Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.