Estudo constata que jovens permanecem por pouco tempo em uma empresa; entenda os motivos 

A relação da sociedade com o emprego é muito diferente do que acontecia antigamente, com o mesmo podendo ser dito sobre um grande ramo de possibilidades, indicando um processo natural de mudanças que ocorrem na sociedade, resultado de questões diversas.

Um exemplo disso está no próprio avanço tecnológico, responsável pela modificação de produtos e serviços, assim como na criação de muitos outros. Ações essas que acabam por levar também ao surgimento de novas áreas profissionais, respondendo a essas demandas.

Situação que faz com que muitas profissões acabam entrando em desuso, como é o caso dos datilógrafos, uma área que cuja especialização não se mostrou mais necessária a partir do momento em que o uso das máquinas de escrever também perderam sua validade.

Em contrapartida, as carreiras que atuam no campo digital, com destaque para as atividades de TI, vem recebendo uma atenção cada vez maior no mercado, sendo responsável até por acompanhar planos VOIP empresariais adotados pelas empresas.

E na mesma medida em que o mercado e a sociedade se transformam, o meio de trabalho, que costuma responder a ambos os campos, também acaba por passar por mudanças significativas, influenciando até mesmo no comportamento de toda uma classe profissional.

Cenário a fazer com que até mesmo empresas fabricantes de painéis elétricos, atuantes do campo industrial, trabalhem ao lado de um perfil completamente diferente de público interno, se comparados com outros mercados, como o caso de uma companhia do setor digital.

Para cada ambiente é comum a procura por um perfil específico de funcionários, sendo algo que vai além da sua formação profissional, se tornando necessário apresentar também outras características pessoais que sejam capazes de definir alguém como apto para uma função.

Mesmo com as mais diferentes personalidades possíveis de se encontrar em um processo de seleção, existe um comportamento comum da população jovem como um todo, que é a forma em que essa parcela da sociedade enxerga o meio profissional e sua posição nisso.

Uma nova perspectiva que deve ser reconhecida pelo próprio mercado de trabalho, para que ele não tenha nenhum tipo de prejuízo justamente por não estar pronto para lidar com um novo e cada vez mais forte perfil de público moderno.

Os jovens e sua visão do trabalho

A grande mudança do meio profissional nos últimos anos foi a inclusão da tecnologia, com destaque para as soluções digitais, sendo elas disponíveis para os mais diversos tipos de mercado, sendo preciso apenas reconhecer como tais ferramentas podem ser úteis.

Atualmente, lidar com o meio digital deixou de ser apenas uma oportunidade, agindo como uma responsabilidade por parte das companhias que queiram crescer em seu segmento, seja uma empresa de laudo de engenharia ou um simples restaurante de bairro.

Com a internet sendo agora algo comum, tanto ao mercado como ao público, o principal desafio do meio profissional está em se adaptar ao novo perfil de trabalho dessa geração atual que acaba de chegar a maioridade e está em busca de destacar em seus ofícios.

Estamos falando da geração Z, popularmente conhecidos como zoomers, um grupo que costuma estar associado a pessoas que nasceram em média a partir da metade dos anos 90, especificamente em 1996, e que agora começam a entrar no mercado de trabalho.

Essa geração nasceu tendo um contato direto com a internet, absorvendo a velocidade em que as informações correm nesse ambiente como algo comum em seu cotidiano, definindo sua forma de consumo de conteúdo, como também sobre como agir em sociedade.

Ou seja, estamos falando de um público de perfil muito mais frenético, logo, não chegar a ser nenhum espanto em pensar que essa característica iria afetar também a sua visão sobre o mercado e o meio profissional, tendo as empresas que se adaptar à nova realidade.

Isso porque qualquer empresa de estruturas metálicas, ou qualquer que seja o seu perfil, vai encontrar durante a seleção de novos profissionais um comportamento diferente em relação à sua entrega e dedicação à companhia, tratando-se de um público mais flexível.

A partir de dados coletados em 2020 pelo Ministério do Trabalho e Previdência foi possível identificar que até ¼ dos jovens contratados costumam durar menos do que 3 meses em suas atividades, não só por decisões dos contratadores, mas desses próprios profissionais.

A título de comparação, essa mesma análise informa que 41,67{37828f1ff735b0094b538d67ee7b4880e10b43cdfc7b8dfdd0f990fc8cff9e44} do público mais velho, entre 50 a 64 anos, possuem em seu histórico uma relação de mais de 10 anos com as empresas com que atuam no momento, sendo essa a realidade do mercado até então.

Essa prática de trocar rapidamente de empresas e funções no mercado, onde um profissional pode passar por diversas empresas de modernização de elevadores durante um período de 5 anos, recebeu até mesmo um nome, sendo chamado de “job hopping”.

Esse ato de ficar pulando de um emprego para outro não necessariamente aponta para um perfil indeciso, sendo esse um erro comum de ser feito pelo mercado tradicional, tratando-se apenas de uma consequência das novas características do público jovem.

Uma audiência que se preocupa cada vez mais com a sua qualidade de vida, se existe uma chance real de prosperar em uma companhia, além de outros motivos que fazem com que essa troca de trabalho seja comum para tal perfil etário mais jovem.

O aumento de opções de mercado, assim um maior estímulo ao espírito empreendedor é também um dos responsáveis por essa troca comum de emprego, cabendo então às empresas saberem como oferecer algo bom o suficiente para prender tal público.

É necessário então que as empresas atuais, com destaque para aquelas que dependem do exercício de diversos perfis profissionais, como é o caso de uma empresa de construção de casas, que necessita de arquitetos e decoradores, adaptem-se ao novo cenário.

Formas de garantir a permanência de profissionais

Todo o processo que envolve a contratação de novos profissionais, indo desde a seleção até mesmo ao treinamento desses indivíduos é algo que acaba exigindo um grande investimento por parte das empresas, tanto financeiro como em questão de tempo.

Junto disso, ainda existe o desafio de passar meses capacitando uma pessoa para simplesmente ver ela fornecer sua força e qualidade de trabalho para outras empresas, muitas vezes até mesmo para os seus concorrentes.

Ao invés de ficar reclamando sobre uma possível falta de lealdade, é importante entender que essa troca de emprego é algo comum com a população mais jovem, estando longe de ser um traço negativo, sendo apenas uma nova característica a se encontrar no mercado.

Frente a isso, qualquer tipo de serviço, como um de táxi aéreo deve então adotar novas medidas para garantir a permanência dos seus profissionais, sendo possível apresentar algumas estratégias que podem influenciar nesse sentido, sendo elas:

Crescimento de carreira

A saída rápida de alguém de uma empresa acontece muitas vezes por causa da falta de confiança com a empresa, principalmente em relação ao seu crescimento profissional, com tais indivíduos estando em busca de servirem a empresas que os reconhecem.

Baseado nisso é importante oferecer desde o momento da contratação de um indivíduo quais serão suas chances de crescer nesse local, de forma a fortalecer a criação de laços com esse lugar.

Ambiente receptivo

Além do crescimento profissional em si, as pessoas estão em busca hoje de uma boa relação com o local em que irão trabalhar, e isso pode englobar um amplo ramo de possibilidades, sendo possível destacar ações como:

  • Remuneração adequada;
  • Benefícios sociais;
  • Crescimento profissional;
  • Ambiente positivo de trabalho.

Tópicos esses que podem fazer com que um profissional se sinta estimulado por parte de uma empresa, procurando então, manter-se ligado a ela.

Nova visão de currículo

Por outro lado, não vale a pena perder a chance de contratar um bom profissional apenas por causa da visualização de um currículo cujo histórico seja formado por diversas empresas, pois pode ser a sua companhia aquela escolhida para fincar sua jornada.

Cabendo então a gestão dessa empresa saber então não apenas como organizar sua empresa e equipamentos, por meio de um armazém logístico SP, mas também como gerenciar da melhor forma possível a sua equipe profissional, reconhecendo novos perfis.

Tudo para que até mesmo um comum choque de gerações não seja motivo pelo qual uma companhia deixe de crescer no mercado, unicamente por não reconhecer as oportunidades que estão disponíveis, elas que podem se apresentar por meio de novos profissionais.

Esperamos que o texto de hoje tenha sido extremamente útil e que você tenha conseguido entender os motivos dos jovens permanecerem pouco tempo nos empregos.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.