Para que serve o MEI

O Microempreendedor Individual (MEI) é uma categoria criada pelo governo brasileiro para facilitar a legalização e a gestão de pequenos negócios. Ele permite que pessoas físicas sejam registradas como microempresários, possibilitando a abertura de uma empresa com baixo custo e sem burocracia excessiva.

Benefícios do MEI

Facilidade na abertura de empresa

A abertura de uma empresa como MEI é simples e rápida. É possível se registrar pela internet, preenchendo um formulário e pagando uma anuidade anual de R$ 60. Além disso, o MEI não precisa se preocupar com a elaboração de estatutos, contrato social e outros documentos exigidos para empresas de maior porte.

Isenção de impostos

O MEI é isento de alguns impostos, como Imposto de Renda, Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) e Imposto Sobre Serviços (ISS). Além disso, o MEI pode emitir nota fiscal e deduzir as despesas relacionadas à sua atividade, o que lhe permite obter créditos fiscais.

Acesso a crédito

O MEI tem acesso a linhas de crédito específicas, como o Microcrédito Produtivo Orientado (MPO) e o Microcrédito Rural. Essas linhas de crédito são oferecidas com juros baixos e condições facilitadas para o pagamento.

Seguro-desemprego

O MEI tem direito ao seguro-desemprego, desde que cumpra os requisitos necessários, como ter trabalhado por pelo menos 12 meses nos últimos 18 meses e ter sido demitido sem justa causa.

Benefícios previdenciários

O MEI tem direito aos benefícios previdenciários, como aposentadoria, salário-maternidade, auxílio-doença e pensão por morte. Além disso, o MEI tem direito ao 13º salário e férias remuneradas.

Limitações do MEI

Faturamento anual

O MEI tem um limite de faturamento anual de R$ 81.000,00. Se o faturamento ultrapassar esse valor, o microempreendedor deverá se regularizar como Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP).

Número de funcionários

O MEI não pode contratar funcionários e deve exercer a atividade de forma individual. Caso contrate funcionários, deverá se regularizar como Microempresa (ME) ou Empresa de Pequeno Porte (EPP). Isso significa que o MEI não pode ter empregados, ou seja, não pode pagar encargos trabalhistas, como FGTS, 13º salário, férias, entre outros. Além disso, o MEI também não pode ter sócios.

É importante destacar que existem algumas exceções quanto ao número de funcionários. Por exemplo, é permitido contratar um empregado doméstico, desde que o salário seja pago pelo empregador. Além disso, é permitido contratar trabalhadores temporários, desde que sejam contratados por agências especializadas e dentro das regras estabelecidas pelo Ministério do Trabalho.

Em resumo, o MEI é uma opção para quem deseja abrir um negócio de pequeno porte e não tem intenção de contratar funcionários, pois essa modalidade não permite contratar empregados e tem limite anual de faturamento. Entretanto, é importante lembrar que essas regras são sujeitas a mudanças e é sempre recomendável consultar as atualizações e orientações do governo para não incorrer em erros e sanções.

Leia também

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.