5 Etapas para Gestão Financeira para PME

Gestão Financeira

A gestão financeira eficaz é crucial para o sucesso de qualquer PME. Por meio dela, você consegue estabelecer procedimentos e controles que ajudam a melhorar os resultados da empresa e aumentar os seus lucros.

Para tanto, você precisa recorrer a procedimentos e controles internos específicos que o ajudam a conhecer a saúde financeira do negócio e a vislumbrar possíveis melhorias para o mesmo.

Como uma forma de ajudá-lo com isso, elaboramos este artigo com as 5 principais etapas para o gerenciamento financeiro eficaz da sua empresa. Continue lendo:

1 – Faça o cálculo correto do preço de venda

A primeira etapa para uma gestão financeira de eficiente é adotar um sistema de custos de qualidade. Com ele, você pode realizar realização de um cálculo correto do preço de venda dos seus produtos/serviços.

O ideal é que o cálculo adotado pela sua empresa leve em consideração todos os custos do negócio, incluindo os valores praticados pelos concorrentes. Atualmente, as estratégias de precificação mais comuns usadas nas PME são:

  • Inserir o produto/serviço no mercado com o valor máximo possível e depois reduzi-lo gradativamente;
  • Inserir o produto/serviço no mercado com o valor abaixo do praticado pelos concorrentes e depois aumentá-lo gradativamente.

2 – Elabore um Fluxo de Caixa

A criação, planejamento e controle do Fluxo de Caixa é algo essencial para que você possa fazer um bom gerenciamento financeiro do seu negócio.

No entanto, essa prática vai além do acompanhamento diário da entrada e saída de dinheiro ou da atualização de planilhas.

Na verdade, o principal objetivo dessa etapa é fazer com que você esteja sempre em dia com a situação financeira da sua empresa. Com isso, é possível fazer o planejamento futuro do negócio e evitar a perda da lucratividade do seu negócio.

3 – Defina o planejamento financeiro orçamentário

A seguinte etapa para da gestão financeira para PME é a definição, acompanhamento e revisão constante do planejamento financeiro orçamentário da sua empresa.

Esse tipo de planejamento é a base para quase todas as práticas do seu negócio. Segundo especialistas, a ausência desse recurso faz com que você não consiga tomar decisões assertivas e estratégicas no seu negócio.

Como resultado disso, você não será capaz de analisar e aplicar investimentos no momento certo. Isso faz com que você fique sempre atrás da concorrência e coloque o seu negócio em risco.

4 – Acompanhe a evolução da empresa

Fazer o acompanhamento da evolução da empresa e traçar estratégias para maximizar sua lucratividade e rentabilidade é algo essencial para o gerenciamento do seu negócio.

Para tanto, é necessário que você saiba quais são os pontos fortes e fracos da empresa. Com base nisso, será possível desenvolver um plano de ação capaz de promover o equilíbrio das finanças da empresa.

Por se tratar de um processo complexo, você pode aplicar métricas específicas que facilitam o gerenciamento financeiro do negócio. Assim, o acompanhamento do crescimento da empresa se torna mais simples e eficaz.

5 – Invista na auditoria financeira

A auditoria é um importante mecanismo para a gestão financeira. Afinal, é por meio desse recurso que você consegue fazer uma prestação de contas eficaz e totalmente transparente.

Além disso, essa prática também contribui para a melhorar a forma que você administra o dinheiro da empresa e evita problemas como fraudes e esquemas de roubos dentro do seu negócio.

Diversos donos de empresas usam a auditoria para desenvolver estratégias de planejamento e otimização dos processos da empresa. Uma dica bacana aqui é usar várias métricas para conhecer a fundo como estão todas as áreas do negócio.

Após conhecer todas as etapas para alcançar uma gestão financeira de qualidade, é crucial que você adote todos esses recursos. Afinal, é por meio deles que você irá conhecer a fundo todos os aspectos da sua empresa.

O primeiro passo é elaborar o Fluxo de Caixa e planejamento financeiro da sua empresa. Através deles, você terá informações de qualidade para definir os preços e acompanhar a evolução financeira da sua empresa.

Uma boa dica é usar recursos tecnológicos para controlar as suas finanças tais como aplicativos e plataformas de gestão. Através delas, você poderá analisar os dados com eficiência e tomar decisões assertivas para o futuro do seu negócio.

5 PASSOS PARA FAZER SEU CONTROLE FINANCEIRO PESSOAL

Controle Financeiro Pessoal

Saber como ter controle financeiro pessoal é uma das maneiras mais recomendadas de preservar o seu dinheiro.

É desta forma que você avalia melhor a sua renda, as suas despesas e verifica o que pode ser mudado para poupar mais ao final do mês.

O QUE É CONTROLE FINANCEIRO PESSOAL?

Controle financeiro pessoal, de maneira geral, é um meio de organizar todos os ganhos e gastos de um determinado período de tempo, normalmente mensal, levando em conta tanto as despesas fixas quanto os gastos gerais.

Ter este controle é muito importante para acompanhar o orçamento e realizar economias, assim como fazer investimentos a longo prazo.

QUAIS PASSOS DEVO SEGUIR PARA CONTROLAR AS MINHAS FINANÇAS?

Se você pretende controlar e organizar as suas finanças a fim de gerar maior economia e rentabilidade, esses 5 passos sem dúvida irão te ajudar a alcançar estes objetivos. Confira:

  • 1) LIVRE-SE DAS DÍVIDAS

Se você não tem nenhuma dívida para quitar, ótimo! Já está no caminho certo para ter mais controle sobre as suas finanças.

Caso contrário, se livrar das dívidas é o primeiro passo para adquirir um bom controle econômico.

Ter muitas contas atrasadas e dívidas a pagar, acaba virando uma grande bola de neve no fim do mês atrapalhando as suas economias e controle sobre o seu orçamento.

Para identificar suas dívidas, você pode consultar seu CPF ou nome no SPC e Serasa, empresas responsáveis por manter uma base de dados com nomes de pessoas inadimplentes no mercado.

Nesta consulta, você irá obter o nome da empresa que solicitou a inclusão do seu nome no serviço de proteção ao crédito. Os dados para contato, assim como o valor da dívida também são informados nesta consulta de CPF.

Procure renegociar ou parcelar essas dívidas para ficar livre o quanto antes desse problema.

  • 2) IDENTIFIQUE OS SEUS GASTOS FIXOS

O segundo passo para ter um bom controle financeiro pessoal é identificar quais são as suas despesas, levando em consideração a renda líquida mensal.

Para começar, o mais indicado é listar todos os seus gastos fixos, ou seja, aqueles custos que apresentam o mesmo valor ou que sofrem pequenas variações durante o mês, como por exemplo: conta de luz, gás, água, telefone, internet, TV acabo, academia e aluguel.

Em média, qual o gasto que você possui com estas despesas? O valor obtido será o seu custo fixo.

Com o pagamento destas contas, o restante estará disponível para outros gastos variáveis do dia a dia e também para realizar novos investimentos.

  • 3) CONHEÇA OS SEUS GASTOS EXTRAS

Agora que você já definiu quais são os seus gastos fixos, é o momento de conhecer os gastos extras e identificar onde as despesas são maiores.

Para isto, você deve anotar literalmente tudo o que desembolsou durante o mês, inclusive os pequenos gastos do dia a dia. Não se esqueça do mercado, almoço, lanches, idas ao cinema, etc. Não deixe nada passar nesta lista.

Com isto, será mais simples lembrar a origem das despesas e você não terá aquela impressão de que o seu dinheiro tem assas e sumiu da sua conta no final do mês.

  • 4) AVALIE ONDE É POSSÍVEL FAZER ECONOMIAS

Quando você organiza as suas despesas por categorias, é mais fácil visualizar se você está excedendo mais do que deveria e onde é possível fazer economias.

Lembre-se de que poupar dinheiro é a maneira mais eficaz para alcançar os seus desejos, objetivos e fazer investimentos para o futuro, com isto, procure o máximo diminuir os gastos com coisas supérfluas e organize a sua renda.

Essa economia pode ser utilizada para comprar algo que você quer muito, seja investir em uma negocio próprio, viajar, comprar notebook novo, um carro ou até mesmo sua casa própria.

  • 5) O QUE VOCÊ QUER, NEM SEMPRE É AQUILO QUE VOCÊ PRECISA

Evite ao máximo comprar por impulso e reflita criticamente sobre o seu consumo. Será que a grande parte de seus gastos realmente são com coisas essenciais?

Manter este mentalidade é muito importante para prevenir que você tenha despesas desnecessárias. Avalie categoricamente o que de fato é preciso e quais são os gastos que você pode cortar, assim, você verá a grande diferença que isto trará no fim das contas.

Esses passos sem dúvida te ajudarão a ter um melhor controle financeiro pessoal e ter mais economia!