Consulta de Habilitação do Seguro Desemprego Com Passo a Passo

Consulta de habilitação do seguro desemprego

Consulta de Habilitação do Seguro Desemprego – O seguro desemprego é um dos benefícios mais importantes voltado ao trabalhador brasileiro, é um benefício financeiro temporário podendo ser concedido ao trabalhador de 3 a 5 parcelas, sendo pagas de maneira consecutivas ou alternadas.

Consulta de Habilitação do Seguro Desemprego

É um benefício que pode ser solicitado por todo o trabalhador formal ou trabalhador doméstico, ou seja, somente os trabalhadores com registro em carteira de trabalho podem receber o benefício, o principal motivo que leva a aquisição do seguro desemprego é a demissão sem justa causa.

Entenda os requisitos de recebimento do seguro desemprego;

  • Demissão sem justa causa;
  • Trabalhador suspenso por participação em curso de qualificação profissional oferecido pela a própria empresa;
  • Pescador profissional em período de defeso, onde a pesca é proibida;
  • Trabalhador em condições de trabalho semelhante à de escravo.
Consulta de habilitação do seguro desemprego
Consulta de habilitação do seguro desemprego

A quantidade de parcelas concedidas pelo o seguro desemprego, vai variar de acordo com a quantidade de meses trabalhados.

Veja como funciona…

  • 3 parcelas do seguro desemprego, para tempo de trabalho de 6 a 11 meses;
  • 4 parcelas do seguro desemprego, para tempo de trabalho de 12 a 23 meses;
  • 5 parcelas do seguro desemprego, para tempo de trabalho maior que 24 meses trabalhados.

Após a solicitação do benefício, o trabalhador ainda fica na dúvida ser o benefício foi aprovado, porém pela a internet é possível verificar como que anda a solicitação do seu seguro desemprego.

Consulta do seguro desemprego Online

Para efetuar a consulta do seu benefício pela a internet, é necessário que o trabalhador tenha o número do PIS em mãos, a numeração pode ser encontrada na primeira folha da carteira de trabalho, ou no cartão cidadão ser possuir, somente com a numeração do seu NIS será possível realizar a consulta do benefício.

A consulta será realizada no site oficial da Caixa www.caixa.gov.br/cidadao/beneficios, e insira a numeração do seu PIS, insira também a sua senha e em seguida clique na opção serviços ao cidadão, ser não possuir a senha do portal no próprio site tenha a opção ‘’ cadastrar senha’’.

Mudanças que ocorrem no seguro desemprego…

As mudanças em relação a solicitação do benefício deixaram muitas dúvidas em diversos cidadãos brasileiros, para entender melhor confira as explicações a seguir:

  • 1ª solicitação do seguro desemprego

O trabalhador pode receber 04 parcelas desde que comprove período de trabalho de 18 a 23 meses trabalhados.

05 parcelas ser for comprovado no mínimo 24 meses trabalhados em registro em carteira de trabalho.

  • 2ª Solicitação do seguro desemprego
  • 04 parcelas sendo comprovado 12 meses trabalhados, ao período da dispensa;
  • 05 parcelas ser o trabalhador comprovar 24 meses registrado em carteira de trabalho;
  • 3ª ou mais solicitações do seguro desemprego

03 parcelas do seguro desemprego, ser o trabalhador comprovar de 06 a 11 meses de trabalho registrado em carteira;

04 parcelas do seguro desemprego, ser o trabalhador comprovar no mínimo 11 meses de trabalho em carteira assinada;

05 parcelas ser o trabalhador comprovar no mínimo 24 meses de carteira assinada.

Tabela do Seguro Desemprego, como funciona?

O cálculo do seguro desemprego é feito em cima da média dos 03 últimos salários do trabalhador, confira a tabela a seguir:

Salário Médio

Valor da Parcela

Salário Mínimo

Salário Mínimo

Menos que R$1.222,77

Multiplica-se salário médio por 0.8 (80%), sendo no mínimo o valor do salário mínimo

Entre R$1.222,78 e R$2.038,15

O que exceder a R$1.222,77 divide-se por 2 e soma-se a R$978,22

Mais que R$2.038,15

R$1.385,91

O seguro desemprego é um benefício concedido somente ao trabalhador formal, ou seja, caso você peça demissão ou venha ser mandado embora com justa causa, não possui direito a receber o benefício, nem seus fundos rescisórios, agora ser for desligado sem justa causa, você receber o seguro desemprego mensalmente de acordo com a quantidade de parcelas destinadas a você.

Redação Empregador Web

Consulta Habilitação do Seguro Desemprego Que Você Precisa Saber

Consulta habilitação do seguro desemprego

Consulta Habilitação do Seguro Desemprego | O seguro desemprego é um benefício garantido pelo o Governo Federal a todos os trabalhadores formais dispensado de suas atividades funcionais sem justa causa, empregados domésticos, pescadores em época de defeso, trabalhadores resgatados também recebem o seguro desemprego de acordo com as regras estabelecidas no programa.

Consulta Habilitação do Seguro Desemprego

O seguro desemprego é um dos direitos concedidos ao trabalhador, segurado pelo o Governo Federal, o benefício é um auxílio financeiro temporário ao trabalhador dispensado das suas atividades funcionais sem justa causa, onde o mesmo recebe o valor com intuito de ajudar nas despesas temporariamente, até que o trabalhador consiga novamente ser recolocar no mercado de trabalho.

Habilitação do Seguro Desemprego, conheça os documentos necessários:

  • Documento original de identificação com foto, tais como RG ou CPTS;
  • Carteira de motorista;
  • Passaporte;
  • Reservista

Para cada tipo de classe trabalhista existe uma documentação especifica a ser levada na hora, confira no quadro a seguir:

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA HABILITAR O SEGURO DESEMPREGO

Trabalhador Formal

Empregado Doméstico

Pescador Artesanal

Trabalhador Resgatado

Requerimento do seguro desemprego

Comprovante da inscrição de contribuindo da Previdência, ou cartão do PIS

Formulário de requerimento do Ministério do Trabalho, preenchido e em duas vias

Carteira de trabalho e Previdência Social, anotada por um auditor fiscal do Ministério do Trabalho

Cartão do PIS/PASEP, extrato do cartão cidadão

Rescisão de contrato de trabalho comprovando a demissão sem justa causa

Comprovantes de inscrição no PIS e no Cadastro de Pessoa Física (CPF)

Rescisão do contrato de trabalho

Carteira de trabalho e Previdência Social

Comprovante de pagamento das contribuições e FGTS

Carteira de registro como pescador profissional (RGP) que deve ser emitida pela Secretaria Especial de Aquicultura e Pesca da Presidência da República com no mínimo 12 de validade

Documento emitido pelo Ministério do Trabalho que comprove que a situação de ter sido resgatado do trabalho forçado

Termo de rescisão do contrato de trabalho quitado

Declaração pessoal de que não possui outra fonte de renda diferente da atividade pesqueira

Comprovante de inscrição de contribuinte individual ou cartão do PIS

Os três últimos contracheques dos três últimos meses de salário antes da demissão

Cópia de no mínimo dois comprovantes de venda de pescado, ou comprovante de pagamento do INSS, pelo menos de duas

Documento que comprove os depósitos do FGTS ou levantamento dos depósitos. Também serve um documento judicial (certidão de comissões de conciliação previa)

Comprovante do número de inscrição do trabalhador

Comprovante de residência

Se o pescador opera com embarcação, ele deve apresentar uma cópia do Certificado de Registro da Embarcação

Comprovante de escolaridade

Entenda como funciona as parcelas do seguro desemprego…

  • O benefício é concedido ao trabalhador no máximo 5 parcelas, que podem ser dadas ao trabalhador de duas formas, sendo elas alternadas ou continuas.
  • 03 – Parcelas
  • 04 – Parcelas
  • 05 – Parcelas
Consulta habilitação do seguro desemprego
Consulta habilitação do seguro desemprego

Para explicar melhor, entenda como é realizado a distribuição de parcelas a seguir:

  • O trabalhador recebe 04 parcelas ser ele tiver trabalhado de 18 a 23 meses nos últimos 36 meses anteriores ao desligamento, valido para primeira solicitação do seguro desemprego.
  • Segunda solicitação do seguro desemprego o trabalhador recebe 04 parcelas ser ele tiver trabalhado de 12 a 23 meses, e 5 parcelas ser tiver trabalhado no mínimo 24 meses.
  • Terceira solicitação do seguro desemprego ser o trabalhador tiver trabalhador de 6 a 11 meses, o mesmo tem direito a 3 parcelas, ser trabalhou de 12 a 23 meses são 4 parcelas e ser o mesmo tiver trabalhado 24 meses ou mais tem direito a receber 5 parcelas de seguro desemprego.

O período aquisitivo vai estabelecer o tempo limite para que o trabalhador receba o benefício, sendo assim, logo após a demissão o trabalhador deve dar entrada no seguro desemprego, para que receba seu benefício dentro dos meses corretos.

Lembrando que o trabalhador formal tem de 7 a 120 dias para dar entrada no seguro, já o trabalhador doméstico tem de 7 a 90 dias para solicitar o seguro desemprego, então o quanto antes solicitar a entrada do seu benefício melhor, pois você só receber a primeira parcela 30 dias após a data de solicitação do mesmo, sendo assim e tempo o suficiente para que o trabalhador ser mantenha financeiramente com os fundos rescisórios até que a primeira parcela do seu seguro desemprego seja liberada.

Agendamento Seguro desemprego Descubra Aqui Como Fazer

Agendamento Seguro desemprego

Com a modernidade dos últimos tempos, diversos benefícios ligado ao Governo Federal passaram por mudanças para facilitar a vida do cidadão brasileiro, uma das mudanças benéficas ao cidadão foi a informatização do sistema de atendimento ao MTE (Ministério do Trabalho e Emprego).

Agendamento Seguro desemprego

Através desta grande mudança foi implantado o sistema de atendimento ao seguro desemprego, onde agora o trabalhador não precisa mais sair de casa para realizar o atendimento do agendamento da solicitação do seu benefício, isso evita os transtornos que ocorria antes da implantação do sistema de enfrentar filas imensas somente para solicitar o seguro desemprego.

Agendamento do seguro desemprego online

Ser você está presta a dar entrada no seu seguro desemprego, veja a seguir como realizar o agendamento sem sair de casa.

Na época em quer o requerimento do seguro desemprego era emitido em papel, o trabalhador precisava compareça a qualquer posto de atendimento do SINE ou da Caixa Econômica Federal para realizar a solicitação, porém muitas vezes perdia o dia inteiro em imensas filas e não conseguia realizar a solicitação por conta da lotação dos postos de atendimento, porém agora com essa melhoria implantada pelo o Governo Federal é possível realizar o agendamento do seu atendimento online no ‘’ Sistema de Atendimento Agendado ‘’ conhecido também como SAA.

Agendamento Seguro desemprego
Agendamento Seguro desemprego

Como realizar o agendamento?

Primeiramente o trabalhador precisará o site do SAA (Sistema de Atendimento Agendado) www.saaweb.mte.gov.br, ao entrar no portal o beneficiário precisará informar o estado e município em que deseja atendimento.

Após informar o que foi solicitado, uma nova tela será aberta, você deverá informar todos os dados pessoais solicitados, tais como CPF, data de nascimento e telefone de contato, realizado o preenchimento das informações com sucesso, basta somente clicar na opção ‘’ Prosseguir ‘’.

Após realizar todo esse processo de preenchimento bem sucedido, vai aparecer na sua tela o dia disponível, local e hora que você deve comparecer para realizar a solicitação do seu benefício.

E extremamente importante que realize o agendamento pelo o portal SAA, porem muitas pessoas reclamam do processo de agendamento, que vive congestionado e muitos não conseguem agendar.

Por ser muito procurado é natural que o site do SAA fique quase sempre fora do ar, são milhares de pessoas acessando, os períodos de maior dificuldade é pela a manhã e pela tarde, já pela a noite é mais fácil que você consiga efetivar o seu agendamento.

Novas regras para o seguro desemprego, entenda a seguir:

Ser você trabalha de carteira assinada há mais de 5 anos, pode não estar sabendo que as regras para receber o seguro desemprego mudaram, pelas novas e atuais regras, para solicitar o seguro desemprego é necessário que o contribuinte tenha mais tempo de serviço, caso o mesmo esteja dando entrada no seguro pela a primeira vez. Antes bastava que o trabalhador tivesse apenas 6 meses de carteira assinada para que o mesmo conseguisse dar entrada no seguro.

Pela nova regra do seguro desemprego, agora é necessário que o trabalhador tenha trabalhado no mínimo 12 meses de carteira assinada para poder solicitar o benefício pela a primeira vez. Para solicitar o seguro desemprego pela segunda vez agora será necessário que o trabalhador tenha no mínimo 9 meses de carteira assinada, e sendo 6 meses para solicitar a entrada do seguro desemprego pela a terceira vez em diante.

Além dos prazos de solicitação do seguro desemprego, também teve mudança em relação aos valores e o número de parcelas.

Conheça as vantagens do agendamento do seguro desemprego:

Com o crescimento da tecnologia, diversos órgãos e benefícios voltado ao atendimento privado e público tiveram que aprimora seus meios de atendimento ao cliente, para que os serviços fossem prestados com rapidez e da melhor forma possível, com o Sistema de Agendamento Agendado (SAA) os beneficiários podem realizar seus agendamento e solicitações sem sair de casa, além da comodidade, venho também o conforto e praticidade, pois agora o beneficiários não precisam mais enfrentar filas gigantescas e um longo tempo de espera.

Isso acabou com o stress tanto dos benefícios quanto dos funcionários que agora dispõem de marcações e tempo o suficiente para sanar e resolver qualquer solicitações dos seus beneficiários, o sistema melhorou toda a logística do beneficiário quanto da empresa que agora consegue realizar os seus atendimento mediante a marcações.

Conectividade Social: O que é? Quais as Vantagens? Como Acessar?

O Conectividade Social é um canal obrigatório para enviar informações ao FGTS e para a Previdência Social, sendo um canal eletrônico de relacionamento que pode ser usado com o intuito de trocar informações referentes ao FGTS entre a Caixa Econômica Federal, agende operador do fundo, empresas, sindicatos, prefeituras e escritórios de contabilidade.

Saiba Tudo Sobre a Conectividade Social ICP

O Conectividade Social ICP trata-se da evolução do famoso Conectividade Social, da qual também falaremos sobre. A principal diferença entre esses dois termos é que o Conectividade Social ICP é totalmente online, eliminando a necessidade de instalar softwares para transmitir arquivos.

O canal foi desenvolvido pela Caixa e disponibilizado gratuitamente para as empresas e para a transmissão de arquivos gerados pelo programa SEFIP – Sistema de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social, por meio da internet e no ambiente da própria empresa. Tudo isso pode ser feito sem a necessidade de encaminhar mídias gravadas ao banco.

Conectividade Social

Este é um modelo muito rápido, fácil e seguro, que é facilmente adaptável ao ambiente de trabalho. O canal dispõe de diversas funcionalidades para usuários, bem como a transmissão de arquivos PIS – EMPRESA WEB; Arquivos de Guias de Recolhimento Rescisório do FGT e ainda a obtenção de extratos de contas vinculadas do FGTS dos trabalhadores e relatórios de inconsistências cadastrais, isso e muitas outras funcionalidades.

PARA QUEM É DESTINADO?

De modo geral, é destinado a empregadores enquadrados no MEI e empresas optantes pelo SIMPLES com pelo menos 10 empregadores. Além de Agentes Financeiros FCVS, concedida aos Agentes Financeiros do SFH de modo exclusivo a fim de enviar e receber as movimentações FCVS e CADMUT.

É importante salientarmos que os empregadores que não se enquadram nessas situações devem utilizar o Conectividade Social padrão ICP.

O uso do canal Conectividade Social, diferente do Conectividade Social ICP, vai precisar de uma instalação de um programa específico em seu computador. Para utilizar você precisa a acessar o Manual de Operação do Conectividade Social, e ver como usufruir de todas as funcionalidades disponíveis. Esse manual pode ser encontrado também no site da Caixa Econômica Federal na Internet.

VANTAGENS

As suas vantagens consistem na maior segurança e na possibilidade de acessar o sistema da Caixa por meio da Internet, e é ainda mais simples para o recolhimento do FGTS, facilitando assim, cumprir as obrigações relativas ao FGTS.

Este programa é muito eficiente e reduz os custos de operação, e também muito acessível pois tem canal direto de comunicação com a Caixa. Ele reduz a ocorrência de inconsistências e por consequência, também reduz a necessidade de futuras regularizações.

COMO ACESSAR

1- O primeiro passo é se certificar, possuir um certificado digital no Padrão ICP-Brasil, com isso você poderá acessar o Canal. Para emitir o certificado basta ir a qualquer Autoridade Certificadora, fazendo o seu certificado e prosseguindo ao próximo passo.

2- Acesse o link do Conectividade Social já com o certificado digital em seu computador e quando solicitado, informe a senha.

3- Aproveite e desfrute dos benefícios e das facilidades do canal.

Condições

O Conectividade Social é obrigatório para a transição de arquivos SEFIP e da GRRF e precisa de uma certificação digital do usuário. Basta você instalar o aplicativo de pré-certificação e preencher todas as informações, levando-as para uma agência da Caixa.

Você precisará de documentos como o CNPJ, Documentos de identidade e CPF dos representantes, documentos de constituição que qualificam e autorizam os representantes legais a praticarem atos jurídicos em seu nome.

Os empregadores enquadrados no MEI e empresas que escolheram pelo SIMPLES com no mínimo, 10 empregados, devem procurar uma agência da Caixa Econômica Federal a fim de obter sua Certificação Eletrônica e garantir seu acesso com a Conectividade Social.

Leia também:

Como Sacar O FGTS Por Motivo De Demissão Sem Justa Causa?

FGTS

Para sacar o FGTS por motivo de demissão sem justa causa você vai precisar dos documentos a seguir:

– Carteira de Trabalho, exceto quando se tratar de diretor não empregado ou outro documento que comprove o vínculo empregatício; e

– Documento de identificação do trabalhador ou diretor não empregado; e

– Cartão do Cidadão, ou número de inscrição PIS/PASEP ou Inscrição de Contribuinte Individual junto ao INSS para o doméstico não cadastrado no PIS/PASEP; e

– Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho – TRCT, homologado pelo órgão competente, quando o vínculo for maior que 1 ano, com data de afastamento até 31/01/2013, ou Termo de Quitação da Rescisão do Contrato de Trabalho- TQRCT ou Termo de Homologação da Rescisão do Contrato de Trabalho -THRCT.

– Cópia autenticada das atas das assembléias que deliberaram pela nomeação e pelo afastamento do diretor ou cópia do Contrato Social e respectivas alterações registradas no Cartório de Registro de Títulos e Documentos ou na Junta Comercial, ou ato próprio da autoridade competente publicado em Diário Oficial, quando se tratar de diretor não empregado.

Como usar o FGTS para comprar casa ou terreno?

FGTS

Para usar o FGTS na compra de casa ou terreno, você precisa atender essas condições:

– Ter conta no FGTS a pelo menos 3 anos, somando todo o tempo trabalhado.;

– Não ter outro financiamento imobiliário ativo, pelo SSFH, em qualquer parte do Brasil.

– Não ser dono de outro imóvel, seja ele pronto ou em construção nesses locais: no município onde trabalha; na região metropolitana do município onde trabalha; nos municípios que fazem divisa com o município onde trabalha; no município onde mora ou no município onde pretende comprar com o uso do FGTS.

Valor do Imóvel

O valor do imóvel não pode passar do limite de avaliação do SFH, que em julho de 2016 estava em R$ 750 mil.

FGTS – O Que É o Benefício? Tire Suas Dúvidas!

FGTS

O FGTS é uma contribuição que ainda gera muitas dúvidas nos trabalhadores, principalmente quando pode ser sacado e em quais circunstâncias ele pode ser retirado, e outras dúvidas.

O que é o FGTS?

O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) foi criado com o objetivo de proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho.

No início de cada mês, os empregadores depositam em contas abertas na Caixa, em nome dos empregados, o valor correspondente a 8% do salário de cada funcionário.

O FGTS é constituído pelo total desses depósitos mensais e os valores pertencem aos empregados que, em algumas situações, podem dispor do total depositado em seus nomes.

Estamos aqui para auxiliar os trabalhadores e empresários a entender melhor essa contribuição, por isso escrevemos este artigo para explicar como é feita a contribuição e o saque, esperamos sanar suas dúvidas a respeito do assunto.

FGTS é a abreviatura de Fundo de Garantia por Tempo de Serviço, foi criado pela Lei nº 5.107, de 13 de setembro de 1966 e vigente a partir de 01 de janeiro de 1967, para proteger o trabalhador demitido sem justa causa. Muitos dizem que o FGTS é uma porta aberta para conseguir patrimônios e até a casa própria, mas poucos sabem exatamente como usar esse benefício do trabalhador que tem essas e outras propriedades.

O FGTS é basicamente um depósito compulsório em que as empresas fazem para o trabalhador que possui carteira registrada e/ou trabalha sob regime da CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) em um percentual de 8% de seu salário em uma conta da Caixa Econômica Federal. Esse valor não é descontado do salário do trabalhador, mas sim um valor a parte “pago” pela empresa empregadora.

O valor depositado fica em uma espécie de bloqueio até que a relação de trabalho seja encerrada, ou seja, a demissão do trabalhador, nesse momento ele pode solicitar o valor em parte ou integral junto à Caixa Econômica.

Atualmente a Caixa Econômica está atualizando ainda mais as ferramentas para que o trabalhador tenha acesso aos depósitos de seu FGTS, agora o contribuinte pode receber uma mensagem via SMS quando o empregador fazer o depósito. Para isso é necessário que o trabalhador tenha um cadastro atualizado com seu número de celular junto à Caixa Econômica.

Se você foi demitido e quer receber o benefício é necessário, antes, o empregador anunciar o ocorrido à Caixa e em um prazo de até 5 dias úteis o trabalhador poderá sacar seu benefício.

Quando o valor do saque for igual ou inferior a R$ 1.500,00 pode ser feito nas unidades lotéricas, nos postos de atendimento eletrônico e nas salas de autoatendimento para trabalhadores que possuem cartão do cidadão e senha. Nas demais situações o saque dos recursos pode ser realizado em qualquer agência da Caixa, se o trabalhador tiver alguma dúvida poderá solicitar informações a algum funcionário da Caixa.

O FGTS é o principal benefício para que o trabalhador de baixa renda consiga fazer um financiamento habitacional, pois através dos valores depositados em sua conta, o trabalhador poderá oferecer garantia para agências de financiamento habitacional e assim conseguir realizar o sonho da casa própria.

Além da aquisição de um novo imóvel, o trabalhador pode usar o valor de seu FGTS para construção, liquidação ou amortização de dívida vinculada a contrato de financiamento habitacional. Para isso ele deve entrar em contato com financiadoras alinhadas à Caixa Econômica e encontrar financiamentos onde possa ser usado o valor depositado em sua conta.

Para que o trabalhador consulte o valor depositado em sua conta, ele pode acessar o site disponibilizado pela Caixa Econômica (https://servicossociais.caixa.gov.br/internet.do?segmento=CIDADAO01&produto=FGTS), nele, conforme a imagem abaixo, deverá ser inserido o número do PIS/PASEP (retângulo amarelo na imagem abaixo) do trabalhador e uma senha para acesso na internet (retângulo vermelho na imagem abaixo), que o trabalhador pode cadastrar ou verificar em algum caixa eletrônico qual a sua, ou solicitar essa informação para algum funcionário da Caixa.

Na página que será aberta em seguida você poderá acessar os valores que ainda estão depositados e poderão ser usados para saque em caso de demissão sem justa causa ou em caso de financiamento, aquisição, construção ou reforma de imóvel.

Esperamos ter ajudado você a entender melhor sobre o FGTS que é um direito de todos os trabalhadores. Se persistirem dúvidas procure um funcionário da Caixa.

Te esperamos no próximo artigo.

Empregador web como receber nova senha?

Empregador web como receber nova senha tem sido uma grande dúvida de nossos leitores e, por isso, criamos um passo a passo para você tirar suas dúvidas sobre o aplicativo empregador web

Empregador web como receber nova senha no aplicativo veem se tronado um desafio muito grande para muita gente que escreve para o nosso blog empregadorweb.com, que possui como objetivo, ajudar pessoas a tirar dúvidas e dar sugestões com simples passo a passo para solucionar o pequeno equivoco no momento de requerer uma nova senha no aplicativo empregador web.

Recebemos nos últimos dias algumas dezenas de e-mails de pessoas com dúvidas de como receber nova senha do aplicativo empregador web desenvolvido pelo Ministério do Trabalho e Empregado MTE e por essa razão criamos esse artigo com algumas dicas para você seguir e solucionar de vez o seu problema no aplicativo empregador web.

Empregador web como receber nova senha?

Empregador web como receber nova senha
Empregador web como receber nova senha

Para que serve a funcionalidade “Solicitar Nova Senha”?

Essa funcionalidade destina-se aos gestores de empresas cadastradas tenham esquecido sua senha de acesso ou caso a senha tenha sido bloqueada. Nessa opção será possível obter nova senha!

Como Solicitar Nova Senha?

O sistema disponibiliza a funcionalidade “Solicitar Nova Senha” para permitir que o usuário possa receber uma nova senha no e-mail cadastrado.

Para obter uma nova senha, após clicar no link “Solicitar Nova Senha” deve-se informar o login cadastrado e acionar o botão <Solicitar>.

Solicitação de Envio de Nova Senha

Ao finalizar a solicitação de nova senha, uma mensagem sobre a operação será exibida.

Como Desbloquear Senha Empregador Web?

Caso o usuário erre a senha de login mais de três vezes seguidas, o sistema irá bloquear o usuário, automaticamente, como medida de segurança, exibindo, então, mensagens indicativas sobre a situação de sua permissão de acesso.

Após o bloqueio da senha, ao tentar acessar o sistema, com a senha antiga, uma mensagem indicando a necessidade de solicitação da nova senha será exibida.

Para voltar a ter acesso ao sistema, o usuário deve solicitar nova senha através do link “Solicitar Nova Senha”.

Quando a empresa possui mais de um responsável legal no Contrato Social, qual deve ser o Gestor?

O aplicativo EMPREGADORWEB só permitirá o cadastramento de um único Gestor.

Ressaltamos que para empresas que acessam o aplicativo pela opção “COM certificado digital” o gestor será, notadamente, o responsável que disponha de certificado digital.

Fiz o cadastro da minha empresa no aplicativo EMPREGADORWEB, mas alguns dados foram informados errados. Como posso alterá-los?

A versão atual do aplicativo EMPREGADORWEB não permite alterar dados de empresa cadastrada. Nesta situação, será necessário solicitar a exclusão do cadastro para confecção de novo registro. A exclusão poderá ser solicitada:

a) Pessoalmente, em uma unidade de atendimento do MTE ou do SINE; e b) Por meio de correspondência eletrônica encaminhada para o endereço [email protected] Neste caso, será necessário informar no e-mail, o nome do Gestor Cadastrado e o número do CNPJ ou CEI da empresa.

Sou gestor de empresa e possuo Certificado Digital. Quais funcionalidades terei disponíveis no EMPREGADORWEB pela opção “COM certificado digital”?

O acesso realizado pelo gestor da empresa pela opção “COM certificado digital” permitira o uso das seguintes funcionalidades no EMPREGADORWEB:

a) Encaminhar Requerimentos de Seguro-Desemprego de trabalhadores,

individualmente;

b) Encaminhar Requerimentos de Seguro-Desemprego de trabalhadores, em lote, por meio de arquivo de importação de dados; e

c) Cadastrar procurações dos seus representantes legais (escritórios de contabilidade ou contadores, p.ex.) sem a necessidade de validação presencial de documentação requerida nas unidades de atendimento do Ministério do Trabalho e Emprego ou do Sistema Nacional de Emprego – SINE

O aplicativo EMPREGADORWEB apresentou erro ao cadastrar o Gestor. O que devo fazer para corrigir o problema?

Em alguns casos, os empregadores que já utilizam o aplicativo relataram problemas ao cadastrar a empresa para o primeiro acesso. Como afirmamos na introdução deste documento, o aplicativo está em desenvolvimento e ações precisam ser adequadas, mas isso não impedirá o cadastro e o acesso dos empregadores.

Em relação ao erro ao realizar o cadastro, informamos que ele ocorre, geralmente, quando nos campos do Cadastro é inserido um número de caracteres superior ao permitido.

O sistema não impedirá inserção de dados, entretanto, não permitirá a efetivação do cadastro.

Sendo assim, solicitamos das Empresas que, ao digitar os dados do campo “logradouro” não informem mais que doze caracteres e no campo “bairro” não excedam o limite de trinta caracteres. A tela seguinte apresenta a mensagem de erro identificada.

O aplicativo EMPREGADORWEB não permite finalizar o cadastro e mostra a mensagem “Login Já Utilizado”. Como devo proceder para corrigir o erro?

Essa mensagem pode ocorrer caso o login de acesso escolhido pela empresa coincida com um login de acesso já utilizado por outra empresa. Nesse caso é necessário inserir um nome diferente.

Ressaltamos também que, por medidas de segurança, um login de acesso usado não poderá, em nenhuma hipótese, ser utilizado novamente. Sendo assim, a empresa que cancelar o seu cadastro no aplicativo EMPREGADORWEB não poderá utilizar o login de acesso do cadastro antigo em um novo, ou seja, o login de acesso não poderá mais ser usado.

Qual é o tipo de e-mail aceito pelo aplicativo EMPREGADORWEB?

São aceitos endereços eletrônicos (e-mails) no formato:

[email protected] O sistema aceitará endereços eletrônicos de todos os domínios, seja da própria empresa ou de sítios especializados, tais como Gmail, Hotmail, Yahoo, p.ex.

Represento outra empresa. Ela deve ser cadastrada no aplicativo EMPREGADORWEB?

E como farei uso do aplicativo para geração e impressão dos formulários de SeguroDesemprego da empresa que eu represento?

Sim, todas as empresas devem ter seu cadastro, mesmo que não faça diretamente o uso do aplicativo, para a geração e impressão dos formulários de Seguro-Desemprego.

Após efetuar o cadastro e acessar o aplicativo EMPREGADORWEB, a empresa que pretende autorizar para outra (escritório de contabilidade, contadores, p.ex) a geração e impressão dos formulários de Seguro-Desemprego de dispensas do seu quadro de funcionários deverá efetuar cadastro de procuração.

A partir desta procuração, o procurador outorgado poderá representar o outorgante na geração e impressão dos formulários de Seguro-Desemprego e responder pelas informações ao Ministério do Trabalho e Emprego.

Esqueci minha senha de acesso para uso do aplicativo EMPREGADORWEB, como posso pedir uma nova?

Na página inicial do aplicativo EMPREGADORWEB existe a opção “Solicitar uma nova senha”, no menu “Acesso direto”. Após selecionar a opção e digitar o login, será enviado link para o e-mail do gestor cadastrado no sistema. O link permitirá realizar a alteração para nova senha de acesso.

Ressaltamos que este link deve ser copiado da mensagem recebida e colado no navegador. Solicitamos que não cliquem diretamente nele, pois esse ato poderá ocasionar erros no momento de alterar a senha, tornando o processo inválido.

Não lembro qual é o LOGIN que eu utilizo no aplicativo EMPREGADORWEB. Como posso recuperá-lo?

Neste caso essa informação poderá ser obtida:

a) Pessoalmente nos postos de atendimento do MTE ou do SINE; e

b) Por meio do endereço eletrônico “[email protected]”. Neste

caso, será necessário informar o nome do gestor cadastrado e o número do

CNPJ ou CEI da Empresa

Não consigo acessar o aplicativo EMPREGADORWEB, ele informa que o LOGIN está inválido ou a SENHA está inválida. O que fazer nesse caso?

Verifique se a senha está sendo digitada corretamente. Caso não recorde a senha, solicite uma nova por meio da opção “Solicitar Nova Senha” na tela de login.

Quais navegadores (browsers) de internet são recomendáveis para uso do EMPREGADORWEB?

Tanto os navegadores “Mozilla Firefox”, “Google Chrome” quanto “Internet Explorer” são recomendados para uso do aplicativo EMPREGADORWEB. Entretanto, o navegador Internet Explorer, abaixo da versão 9, pode ocasionar erros no preenchimento do “Cadastro do Gestor”.

Link direto para solicitar Nova Senha no aplicativo empregador web

Com as informações empregadorweb.com

Habilitação do Seguro Desemprego

Consulta de Habilitação do Seguro Desemprego

Habilitação do Seguro-Desemprego é realizado no próprio site do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE) no campo destinado a Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego que pode ser acessado no final dessa página através do link do site do MTE.

Habilitação do Seguro Desemprego

Mas antes veja o simples passo a passo para Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego e saber se o seu benefício está liberado junto ao órgão do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE).

Mas antes, responda a pergunta abaixo:

O seguro-desemprego encontra-se previsto na Constituição Federal?

Sim. O seguro-desemprego encontra-se previsto na Constituição Federal de 1988, em seu artigo 7º, na parte que trata dos Direitos Sociais.

Constituição Federal
Art. 7º – São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
II – seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário;

Também, encontramos disposição constitucional referente ao seguro desemprego nos artigos 201 e 239.

Constituição Federal
SEÇÃO III
DA PREVIDÊNCIA SOCIAL
Art. 201 – Os planos de previdência social, mediante contribuição, atenderão, nos termos da lei, a:
IV – proteção do trabalhador em situação de desemprego involuntário;

Constituição Federal
TÍTULO IX
DAS DISPOSIÇÕES CONSTITUCIONAIS GERAIS
Art. 239 – A arrecadação decorrente das contribuições para o Programa de Integração Social, criado pela Lei Complementar nº 7, de 7 de setembro de 1970, e para o Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público, criado pela Lei Complementar nº 8, de 3 de dezembro de 1970, passa, a partir da promulgação desta Constituição, a financiar, nos termos que a lei dispuser, o programa do seguro-desemprego e o abono de que trata o § 3º deste artigo.
§ 4º – O financiamento do seguro-desemprego receberá uma contribuição adicional da empresa cujo índice de rotatividade da força de trabalho superar o índice médio da rotatividade do setor, na forma estabelecida por lei.

O seguro-desemprego é uma conquista e está previsto na constituição de 1988 Art. 7º – São direitos dos trabalhadores urbanos e rurais, além de outros que visem à melhoria de sua condição social:
II – seguro-desemprego, em caso de desemprego involuntário; e por isso, devemos dar total atenção aos meios pelos quais esses benefícios são concedidos aos trabalhadores urbanos e rurais quando o desemprego é por meio involuntário.

Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego
Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego (Foto: Divulgação)

Veja O Passo a Passo Para Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego

Para Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego você precisar acessar o endereço eletrônico “https://sd.maisemprego.mte.gov.br/sdweb/consulta.jsf” e preencher os campos conforme consta no formulário para realizar a Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego do empregado.

Após preencher os campos obrigatórios do formulário e digitar o PIS PASEP para consulta e *Digite o texto que aparece na imagem você será direcionado para uma outra tela para companhar e saber mais informações sobre como está o status do pedido de Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego.

Para acessar direto e Consulta de Habilitação do Seguro-Desemprego clique Aqui

CONSULTA DE HABILITAÇÃO DO SEGURO DESEMPREGO PELA INTERNET

Um dos grandes avanços feitos para este tipo de serviço reside no fato de que atualmente, qualquer tipo de consulta pode ser feita pela internet, e no que diz respeito à consulta de habilitação do seguro desemprego, ela também pode ser feita pela internet.

Para realizar esta consulta, o trabalhador deverá apenas acessar o site da Caixa Econômica Federal e seguir as instruções.

Neste link, o trabalhador irá inserir o número do PIS e uma senha que foi cadastrada previamente, para depois disto, clicar em “serviço ao cidadão”, sendo que caso você ainda não possua uma senha cadastrada, bastará colocar o número do PIS e clicar em “cadastrar senha”.

Caso você realize o cadastro de sua senha neste dia, você só poderá realizar sua consulta de habilitação de seguro desemprego desejada no dia seguinte, pois será este o prazo para o sistema processar sua senha cadastrada.

VERIFICAÇÃO DO SALDO

Além de poder realizar a consulta de habilitação do seguro desemprego, também será possível, no mesmo link apresentado anteriormente, verificar o saldo de seu seguro desemprego.

Ou seja, você poderá realizar muitas coisas diretamente pela internet, sem ter de sair de casa e sem a necessidade de ir até uma agência da Caixa Econômica Federal, por exemplo.

E isto é muito importante, já que o procedimento ficou muito mais prático e ágil, evitando deslocamentos desnecessários, que podem ser muito complicados em um momento onde o trabalhador talvez não tenha tanto dinheiro para gastar, e em um momento onde todo tipo de economia pode ser essencial para a manutenção da qualidade de vida.

eSocial: Descubra O Que É e Como Funciona!

esocial

eSocial é um projeto do governo federal que vai unificar o envio de informações pelo empregador em relação aos seus empregados

eSocial é um dos mais recentes projetos e tem dado o que falar porque também mantém relação com os contratos de empregados domésticos. Ou seja, mesmo aquelas pessoas que não possuem empresa, nem mesmo um departamento pessoal, pois somente contratam funcionários domésticos, se viram obrigados a aprenderem a lidar com as burocracias do governo. 

Cada vez mais o Governo Federal cria medidas para garantir que os empregadores cumpram seus deveres e para ter maior controle sobre as atividades profissionais, cada vez mais cria soluções tecnológicas que permitem o cruzamento mais fácil de informações, tanto para se certificar que regras como as de distribuição do seguro desemprego estão sendo cumpridas, como também para garantir que empregadores paguem os devidos impostos e encargos por conta de seus funcionários.

Pensando nisso, criei este post que explica as funcionalidades do sistema e-Social e as vantagens que ele oferece. Confira tudo logo abaixo!

  • Como funciona o eSocial…

De maneira simplificada, o sistema eSocial foi criado para garantir que sejam cumpridas obrigações fiscais e trabalhistas por parte dos empregadores, inclusive, daqueles que contratam apenas funcionários domésticos.

Ou seja, é uma plataforma que unifica informações que ficavam dispersas entre vários órgãos como a Caixa Econômica Federal, Receita Federal, Ministério do Trabalho e Emprego, Previdência Social e INSS.

A novidade é que o eSocial também é destinado ao empregador doméstico, como uma obrigatoriedade, aumentando a formalidade e nível de transparência no tratamento de todos os grupos de trabalhadores.

  • Dúvidas frequentes…

Uma das maiores dúvidas quanto ao uso do sistema eSocial está relacionada ao chamado Simples Doméstico, que como o próprio nome diz é referente aos encargos trabalhistas dos funcionários domésticos.

Todas as taxas previdenciárias e demais tributos trabalhistas deverão ser recolhidos por uma única guia, que é o DAE (Documento de Arrecadação do e-Social). Para ter acesso ao Simples Doméstico, o empregador deverá se cadastrar no próprio portal do e-Social.

Inclusive, desde o ano passado também ele passou a ser obrigado a recolher o FGTS para todos os funcionários domésticos. Lembrando que os dados que os empregadores cadastraram no antigo eSocial precisam ser migrados para a nova plataforma.

eSocial: Passo a passo do Simples Doméstico 

A própria ferramenta envia alertas quando há alguma mudança em suas funcionalidades, então, basta ficar atento.

  • Obrigatoriedade de adesão…

Primeiramente, as empresas que são tributadas a partir de seu lucro real tiveram que adotar a plataforma e-Social, seguidas por aqueles que possuem os selos de MEI e pequeno produtor rural.

As últimas a adotarem o sistema foram as empresas tributadas pelo lucro presumido e também aqueles que se encaixam no Simples Nacional. Como é uma ferramenta que visa facilitar a questão burocrática, as pequenas empresas e também os empregadores domésticos não precisam contratar serviços de contadores, a não ser que realmente prefiram, pois o portal é de fácil manuseio e com o tempo as funcionalidades se tornam ainda mais fáceis.

  • As vantagens e desvantagens do novo sistema…

Apesar de ter causado muitas mudanças, o sistema eSocial também tem suas vantagens que devem ser consideradas. Agora, o governo conseguirá unificar as diversas informações referentes ao histórico de um único trabalhador, ao passo que será mais fácil a realização de pesquisas, se certificar de que os empregadores estejam cumprindo suas funções, além de manterem os dados em um sistema informatizado que poderá ser alterado mais facilmente.

Por outro lado, algumas empresas poderão enfrentar gastos para a atualização de seus sistemas de RH e mesmo com a integração do e-Social, além de investirem em treinamentos e alterações de processos que já eram seguidos. De qualquer maneira, os trabalhadores conseguiram ter seus direitos preservados e esse é um ponto importante.

  • Quanto aos empregadores domésticos…

O empregador doméstico, que na maioria das vezes irá lidar com o sistema sozinho, deverá começar se cadastrando no portal do eSocial com seu CPF, declarações de Imposto de Renda e título de eleitor.

Feito isso, será gerada uma senha para que ele preencha um cadastro completo, que também é simples. Ele deverá também cadastrar o trabalhador, pois somente a partir disso é que ele conseguirá gerar as guias do DAE – que exigem pagamentos mensais.

Você já conhecia todas essas informações sobre o eSocial? Não se esqueça de deixar sugestões para as próximas pautas.

Com as informações empregadorweb.com

Saiba mais informações em Conheça o eSocial