5 Etapas para Gestão Financeira para PME

Gestão Financeira

A gestão financeira eficaz é crucial para o sucesso de qualquer PME. Por meio dela, você consegue estabelecer procedimentos e controles que ajudam a melhorar os resultados da empresa e aumentar os seus lucros.

Para tanto, você precisa recorrer a procedimentos e controles internos específicos que o ajudam a conhecer a saúde financeira do negócio e a vislumbrar possíveis melhorias para o mesmo.

Como uma forma de ajudá-lo com isso, elaboramos este artigo com as 5 principais etapas para o gerenciamento financeiro eficaz da sua empresa. Continue lendo:

1 – Faça o cálculo correto do preço de venda

A primeira etapa para uma gestão financeira de eficiente é adotar um sistema de custos de qualidade. Com ele, você pode realizar realização de um cálculo correto do preço de venda dos seus produtos/serviços.

O ideal é que o cálculo adotado pela sua empresa leve em consideração todos os custos do negócio, incluindo os valores praticados pelos concorrentes. Atualmente, as estratégias de precificação mais comuns usadas nas PME são:

  • Inserir o produto/serviço no mercado com o valor máximo possível e depois reduzi-lo gradativamente;
  • Inserir o produto/serviço no mercado com o valor abaixo do praticado pelos concorrentes e depois aumentá-lo gradativamente.

2 – Elabore um Fluxo de Caixa

A criação, planejamento e controle do Fluxo de Caixa é algo essencial para que você possa fazer um bom gerenciamento financeiro do seu negócio.

No entanto, essa prática vai além do acompanhamento diário da entrada e saída de dinheiro ou da atualização de planilhas.

Na verdade, o principal objetivo dessa etapa é fazer com que você esteja sempre em dia com a situação financeira da sua empresa. Com isso, é possível fazer o planejamento futuro do negócio e evitar a perda da lucratividade do seu negócio.

3 – Defina o planejamento financeiro orçamentário

A seguinte etapa para da gestão financeira para PME é a definição, acompanhamento e revisão constante do planejamento financeiro orçamentário da sua empresa.

Esse tipo de planejamento é a base para quase todas as práticas do seu negócio. Segundo especialistas, a ausência desse recurso faz com que você não consiga tomar decisões assertivas e estratégicas no seu negócio.

Como resultado disso, você não será capaz de analisar e aplicar investimentos no momento certo. Isso faz com que você fique sempre atrás da concorrência e coloque o seu negócio em risco.

4 – Acompanhe a evolução da empresa

Fazer o acompanhamento da evolução da empresa e traçar estratégias para maximizar sua lucratividade e rentabilidade é algo essencial para o gerenciamento do seu negócio.

Para tanto, é necessário que você saiba quais são os pontos fortes e fracos da empresa. Com base nisso, será possível desenvolver um plano de ação capaz de promover o equilíbrio das finanças da empresa.

Por se tratar de um processo complexo, você pode aplicar métricas específicas que facilitam o gerenciamento financeiro do negócio. Assim, o acompanhamento do crescimento da empresa se torna mais simples e eficaz.

5 – Invista na auditoria financeira

A auditoria é um importante mecanismo para a gestão financeira. Afinal, é por meio desse recurso que você consegue fazer uma prestação de contas eficaz e totalmente transparente.

Além disso, essa prática também contribui para a melhorar a forma que você administra o dinheiro da empresa e evita problemas como fraudes e esquemas de roubos dentro do seu negócio.

Diversos donos de empresas usam a auditoria para desenvolver estratégias de planejamento e otimização dos processos da empresa. Uma dica bacana aqui é usar várias métricas para conhecer a fundo como estão todas as áreas do negócio.

Após conhecer todas as etapas para alcançar uma gestão financeira de qualidade, é crucial que você adote todos esses recursos. Afinal, é por meio deles que você irá conhecer a fundo todos os aspectos da sua empresa.

O primeiro passo é elaborar o Fluxo de Caixa e planejamento financeiro da sua empresa. Através deles, você terá informações de qualidade para definir os preços e acompanhar a evolução financeira da sua empresa.

Uma boa dica é usar recursos tecnológicos para controlar as suas finanças tais como aplicativos e plataformas de gestão. Através delas, você poderá analisar os dados com eficiência e tomar decisões assertivas para o futuro do seu negócio.

O QUE É MEI? COMO FUNCIONA? PORTAL DO EMPREENDEDOR

MEI

Fundado em julho de 2009, o Microempreendedor Individual (MEI) é considerado uma das portas de entrada para o meio empresarial, e também, é a maneira mais simples que uma pessoa tem de abrir uma empresa no Brasil e tudo pode ser feito pelo próprio empreendedor.

Para ajudar aqueles que desejam saber mais sobre esse mundo do empreendedorismo, este artigo traz um passo a passo contendo informações precisas acerca do MEI.

O QUE VOCÊ FARÁ?

Nem todas as atividades comerciais poderão ser praticadas por um Microempreendedor Individual. É necessário consultar uma lista de atividades permitidas no Portal do Empreendedor. Isso poderá ser feito antes mesmo de pensar em um modelo de negócio. Caso a atividade desejada ainda não estiver na lista, será necessário que o empreendedor procure outra formalização, por meio de uma Sociedade Limitada ou de uma Empresa Individual de Responsabilidade Limitada, ou popularmente conhecida pela sigla EIRELI.

MEI
MEI

QUAL SERÁ O TAMANHO DO SEU NEGÓCIO?

O MEI é uma modalidade de empresa exclusiva para os empreendedores individuais e não permite sócios. Além do mais, o faturamento anual das empresas não pode ultrapassar mais de R$ 60 mil e só será possível contratar apenas um funcionário.

Por isso, o conselho que dou para os empreendedores é que tracem um plano de negócio antes de decidirem participar do MEI, pois precisarão ter certeza de que estão optando pela modalidade certa, o próximo passo então, será ir até a prefeitura da sua cidade para verificar se você pode abrir seu negócio no endereço que deseja.

MEI – Micro Empreendedor Individual: Dúvidas relacionadas ao Microempreendedor Individual

ONDE VOCÊ DESEJA TRABALHAR?

Cada município do Brasil possui uma lei de zoneamento que separa bairros de acordo com as atividades que podem ser realizadas nestes locais. Muitos deles são estritamente residenciais e outros contém uma boa quantidade de comércios e os mais afastados são especificamente as indústrias.

A atividade que o empreendedor que fazer deve ser coerente com o local em que ela será feita, e isso também deve ser consultado antes mesmo do empreendedor se formalizar. Há algumas maneiras de verificar um endereço e elas podem variar de acordo com cada cidade.

Muitos municípios contam com sistemas online que permitem a verificação e outros possuem espaços de atendimento aos empreendedores que tornam este processo ainda mais fácil, e na ausência de tais opções, será preciso entrar em contato com a Secretaria de Urbanismo da Cidade.
O empreendedor deve se certificar do endereço que está consultando, e então, será sempre melhor consultar este endereço com uma cópia do IPTU em mãos, no caso de alugueis, levar o contrato de locação.

PORTAL DO EMPREENDEDOR

Após conferir tudo, o empreendedor pode finalmente se formalizar como MEI. O processo deverá ser feito através do Portal do Empreendedor, onde será necessário inserir alguns dados pessoais, endereços e a atividade comercial que você pratica.

As pessoas que encontrarem dificuldades em fazer seu cadastro pelo Portal do Empreendedor podem buscar a ajuda na prefeitura ou em espaços de atendimento ao trabalhador de sua cidade.

No fim do processo, o empreendedor recebe m certificado de MEI que já informa seu número de Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica (CNPJ).

O Portal do Empreendedor também permite a formalização em esferas federais e estaduais, isto é, ainda falta a etapa municipal. Por isso, será necessário você retornar a prefeitura para poder fazer o Cadastro de Contribuinte Mobiliário (CCM). Essa inscrição lhe permitirá emitir notas fiscais para a prestação de serviços, pois este tipo de atividade recolhe impostos para o município.

Cada município tem seu respectivo processo de cadastro. Algumas cidades oferecem este serviço pela internet, enquanto outras vão precisar que você se desloque até a prefeitura para isso.

Micro Empreendedor Individual: Dúvidas relacionadas ao Microempreendedor

O Micro Empreendedor Individual (MEI) é conhecido como micro empresário individual, aonde o mesmo tem o seu faturamento limitado a R$ 81.000,00 por ano, microempreendedor individual não possui sócio, titular de outra empresa ou qualquer outro administrador.

MEI – Micro empreendedor individual

O contrato do microempreendedor individual é de somente um funcionário, é o mesmo deve exercer atividade econômica simples do comitê do simples nacional.

Os microempreendedores individuais são segurados pela a Lei Complementar nº 128/2008 que foi alterada recentemente para a Lei Geral da Micro e Pequena Empresa Nº 123/2006, aonde cria e segura a figura do microempreendedor individual.

Essa legislação entrou em vigor no dia 01 de julho de 2009, segurando que é considerado microempreendedor individual as pequenas empresas que atenda todos os requisitos por Lei do faturamento de até R$ 81.000,00 anualmente, isto de janeiro a dezembro.

Como abrir uma MEI – Microempreendedor Individual?

Se você estar buscando informações de como abrir um MEI, veio ao lugar certo, o MEI, é conhecido como o Microempreendedor Individual, esse CNPJ aonde é feito o recolhimento de impostos simples ao Governo é feito gratuitamente.

Sendo assim, você pode realizar o procedimento de formalização do seu MEI de maneira bem simples, fácil e rápido. Confira o passo a passo a seguir:

O primeiro passo antes de tudo é pesquisar, verificar se a atividade afim da sua empresa estar dentro do MEI, é preciso verificar também se a atividade é permitida no seu município, recomendo que essa consulta seja realizado junto a Prefeitura de sua cidade, essa consulta é necessária, mesmo se você for realizar a sua atividade dentro da sua residência, verifique este item com atenção, afim de futuramente não ter transtorno com o seu alvará provisório.

Após realizar a consulta cautelosamente é necessário que você verifique e certifique que o faturamento anual do seu MEI não ultrapassa o valor anual de R$ 81.000,00.

A segunda etapa do processo é o cadastramento, chegou a hora de realizar o preenchimento dos formulários no portal do empreendedor, para auxiliar nesta fase de preenchimento existe um manual chamado como ‘’ Manual do Processo Eletrônico de Inscrição do MEI ‘’, caso você tenha dúvida em relação ao preenchimento e as informações solicitadas entre em contato com o SEBRAE através da central de atendimento do 0800 570 0800.

Para realizar o cadastramento do MEI, o CNPJ é o número de inscrição da sua empresa, você não precisa realizar encaminhar qualquer documento a junta comercial, realizada a inscrição, imprima o carne de pagamento mensal, certificado da condição do MEI e relatório mensal de Receitas Brutas.

Quais são os custos após formalização?

O MEI-Microempreendedor Individual deve ser pago mensalmente, o valor de pagamento mensal do INSS é de R$ 36,20 mais R$ 5 reais ao município prestadores de serviço, pode ser também cobradas taxas municipais/estaduais, porém essas taxas vão depender exclusivamente da atividade afim da sua empresa dentro do seu estado/município.

O pagamento do imposto do MEI pode ser realizado até o dia 20 de cada mês em qualquer casa lotérica próxima a sua região ou rede bancaria. Após realizar todo o preenchimento e solicitar com sucesso o seu MEI, você deve acessar o portal do empreendedor http://www.portaldoempreendedor.gov.br/mei-microempreendedor-individual/emissao-de-carne-de-pagamento-das, para emitir o seu carnê de pagamento, sendo assim você já possui o cadastro e pode trabalhar de maneira totalmente formal devendo agora apenas manter em dia seus pagamentos mensais do seu imposto.

Em caso de dúvida acesse o portal oficial do portal do empreendedor www.portaldoempreendedor.gov.br, o site e completo de informações que podem lhe auxiliar na sua dúvida ou referente ao preenchimento e solicitação do MEI – Micro empreendedor Individual.