Aposentadoria especial: Saiba tudo sobre contribuição

O trabalhador tem o direito de se aposentar após um certo período de contribuição e serviços oferecidos para a sociedade. No entanto, existem alguns benefícios para aqueles que exercem sua profissão expostos à insalubridade e periculosidade. Esse grupo tem menos tempo de contribuição necessário para conseguir a sonhada aposentadoria.

Aposentadoria especial – quem tem direito?

Trabalhadores que exercem atividades que os expõe a agentes prejudiciais à saúde têm direito ao benefício. No entanto, é preciso comprovar o trabalho e existe uma legislação que determina quais agentes prejudiciais entram na categoria.

Eles podem ser biológicos, físicos, químicos ou a combinação desses agentes: 

  • Agentes físicos: são aqueles que expõem o trabalhador a ruídos superiores ao permitido (85 cdb), calor ou frio excessivo e ar comprimido, por exemplo.
  • Agentes químicos: são aqueles que expõem o trabalhador a compostos químicos como o iodo, arsênio, cromo, benzeno e outros.
  • Agentes biológicos: são aqueles que expõem o trabalhador em contato com vírus, bactérias, lixo, cemitérios e esgoto, por exemplo.

Regras da aposentadoria especial

Para quem não é inscrito ao INSS, a regra para a aposentadoria especial deve seguir os seguintes critérios:

  • Mínimo de 55 anos, com 15 anos de contribuição nos casos de trabalho em minas subterrâneas;
  • Mínimo de 58 anos, com 20 anos de contribuição nos casos de trabalho em contato com amianto ou trabalho em minas;
  • Mínimo de 60 anos, com 25 anos de contribuição nos demais casos de trabalho com agentes prejudiciais à saúde.

Já para trabalhadores vinculados ao INSS, a regra válida para a aposentadoria especial segue a transição estabelecida pela Reforma Administrativa. Assim é preciso atingir uma pontuação para poder aposentar:

  • 66 pontos + 15 anos de efetiva exposição;
  • 76 pontos + 20 anos de efetiva exposição;
  • 86 pontos e 25 anos de efetiva exposição.

É importante ainda que o trabalhador tenha contribuído por 180 meses para ter direito à aposentadoria especial. Além da idade mínima estabelecida após a Reforma:

  • Para o grau máximo de risco dos agentes nocivos, a idade mínima é de 55 anos.
  • Para o grau moderado de risco dos agentes nocivos, a idade mínima é de 58 anos. 
  • Para o grau máximo de risco dos agentes nocivos a idade mínima é de 60 anos.

Como comprovar 

Para ter direito ao benefício da aposentadoria especial, é preciso comprovar o tempo de trabalho e que a atividade é nociva.

Assim, o trabalhador precisa ter o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP), um laudo assinado por engenheiros ou médicos do trabalho que atestam o exercício da atividade profissional. Esse documento é fornecido pela própria empresa. Já os trabalhadores autônomos, podem apresentar os registros de prestação de serviços ou rotina de trabalho para comprovar a atividade.

Alguns documentos que comprovam o exercício da atividade são a Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS), o Laudo de Condições Ambientais do Trabalho (LTCAT) e o Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP).

Além disso, as atividades estabelecidas para a aposentadoria especial estão presentes nos decretos 53.831/64 e 83.080/79 até 28 de abril de 1995. Assim, a profissão precisa estar presente na lista reconhecida pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como atividade insalubre.

Valores da aposentadoria especial

O cálculo é feito com base na média de todos os salários do trabalhador. O valor a ser fornecido pela aposentadoria especial corresponde a 60% do valor médio + 2% por ano de trabalho especial, que exceda 20 anos de atividade especial ou ,para aquelas atividades especiais de 15 anos, são as que excedem 15 anos.

Profissões que dão direito a aposentadoria especial

Veja quais são as doze profissões que estão enquadradas na aposentadoria especial: 

  • Aeronautas
  • Dentistas
  • Eletricistas
  • Engenheiros
  • Farmacêuticos
  • Frentistas
  • Mecânicos
  • Médicos
  • Policiais
  • Técnicos e especialistas em laboratórios
  • Vigilantes não armados

O processo de aposentadoria especial

Para dar início ao processo da aposentadoria especial, existem duas formas em que o pedido pode ser realizado: de maneira presencial ou através da internet.

Para realizar o pedido presencial é preciso reunir toda a documentação exigida pelo procedimento e agendar um atendimento presencial, através do número 135. Então, é preciso comparecer ao INSS na data agendada e levar CPF,  Carteira de Trabalho, PPP e o Número de Identificação do Trabalhador (NIT), para auxiliar a comprovação da atividade, o trabalhador pode levar também laudos adicionais de insalubridade, laudos trabalhistas e Comunicações de Acidentes de Trabalho (CAT)

Já para realizar o pedido através da internet, o requerimento para dar início a aposentadoria especial é realizado através do portal Meu INSS. Com o cadastro feito é possível solicitar o requerimento e, para tanto, se faz necessário que toda a documentação esteja digitalizada, PPP, CTPS, RG e CPF.

Trabalhadores que exercem essas atividades com risco e que são essenciais para a sociedade precisam se atentar ao prazo para dar início ao pedido de aposentadoria especial, um benefício concedido pelo governo para auxiliar na qualidade de vida de quem tanto se expõe.

Por gentileza, se deseja alterar o arquivo do rodapé,
entre em contato com o suporte.